Odair se apega às 17 rodadas restantes para acreditar que título do Brasileiro é possível
capa

Odair se apega às 17 rodadas restantes para acreditar que título do Brasileiro é possível

Técnico explicou a opção por Klaus e Fuchs no banco do Inter contra o Flamengo

Por
Correio do Povo

Odair Hellmann explicou a opção por Klaus e não Emerson Santos

publicidade

A derrota do Inter para o Flamengo, por 3 a 1, na última quarta-feira, no Maracanã, deixou a equipe colorada a 12 pontos do rubro-negro que lidera o Campeonato Brasileiro há oito rodadas. Apesar da distância para o líder, o técnico Odair Hellmann não abre mão de seguir sonhando com o título que não vem desde 1979.

“Dá para tirar. Faltam 17 jogos e, mesmo que o Flamengo tenha essa pontuação à frente dos adversários e um padrão muito alto, vai ter envolvimento com a Libertadores e todos os times passaram por um momento de oscilação. Cabe a nós e aos outros adversários diminuir essa diferença”, declarou o treinador.

O próximo adversário do Inter é o Palmeiras, de Mano Menezes, vice-líder com 42 pontos, seis a mais que o Colorado. Ou seja, mais uma decisão para os comandados de Odair Hellmann. Se quiser se manter entre os quatro primeiros, para ter uma vaga direta para a Libertadores 2020, precisará superar o adversário paulista em casa, no domingo, às 16h.

Opção por Klaus e Bruno Fuchs

Uma das críticas feitas nas redes sociais por torcedores do Inter foi a ausência de Emerson Santos no banco de reservas contra o Flamengo. Moledo sentiu um problema físico no primeiro tempo e acabou substituído por Klaus, de 25 anos, mas os colorados queriam um jogador mais experiente. O outro defensor para a posição era Bruno Fuchs, de 20, convocado recentemente para a Seleção Brasileira Olímpica. Odair Hellmann explicou a opção pelas características, pelo rendimento contra o Atlético-MG e pela necessidade de fazer um rodízio entre os defensores para evitar a perda de ritmo.

“O Bruno (Fuchs) e o Emerson (Santos) têm como característica a construção, então, por isso o Fuchs ganhou a oportunidade. São dois jogadores de bom passe e boa saída. O Klaus é um jogador mais de imposição física. Saí um jogador de imposição física, que é o Moledo e entrou um jogador que foi muito bem contra o Atlético-MG. Os dois foram muito bem. Daí tentamos manter uma característica bem próxima do Moledo, de força e capacidade física, para não colocar um jogador técnico ou de construção. Com um a menos e perdendo, teríamos que defender muito mais e em muitas situações de bola aérea, que é um das características do Klaus”, explicou.

Segundo o treinador, o rodízio entre os zagueiros foi conversado com os seis jogadores da posição e aceito. Apesar da ausência de Emerson Santos, Odair afirmou que isso não significa que ele perdeu espaço no grupo e, inclusive, deixou em aberto a possibilidade de contar com o defensor contra o Palmeiras. 

O grupo do Colorado folga nesta quinta-feira e se reapresenta na sexta, às 10h. No sábado, no mesmo horário, ocorre a última atividade antes da partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo contra os paulistas está marcado para domingo, às 16h, no estádio Beira-Rio.