Praxedes deixa euforia para torcida e alerta para Brasileirão "ainda em aberto"

Praxedes deixa euforia para torcida e alerta para Brasileirão "ainda em aberto"

Volante exaltou trabalho de Abel Braga no Inter e ajuda para torná-lo titular da equipe

Correio do Povo

Praxedes foi um dos destaques do Colorado na vitória no Gre-Nal

publicidade

A vitória no Gre-Nal e a liderança confortável do Inter no Brasileirão – 62 pontos, quatro a mais que o segundo colocado – são motivos de sobra para a torcida colorada festejar. No entanto, segundo o meia Bruno Praxedes, um dos destaques da arrancada que colocou o colorado na primeira posição, o campeonato segue “em aberto” e cada partida será uma final daqui para frente. No próximo domingo, às 18h15min, a equipe de Abel Braga recebe o RB Bragantino, no estádio Beira-Rio. 

“A gente entende a euforia, sabe que faz muito tempo que o Inter não ganha o Brasileiro, mas temos muitos jogos pela frente. Mais seis. Agora é final contra o Bragantino no domingo. Este campeonato está muito disputado, todos brigando e espero que a gente consiga estar na frente no final”, disse em entrevista ao programa Repórter Esportivo, da Rádio Guaíba, nesta segunda-feira. “As armadilhas que o professor Abel comentou, penso, que é deixar isso entrar no vestiário, é para seguirmos focados, com a cabeça boa e alcançarmos nosso objetivo”, acrescentou. 

O meia também exaltou o trabalho do técnico, que o escalou como titular desde o começo de sua nova passagem, e a força do grupo colorado para manter o foco até o final. “Abel é um cara fantástico, desde que ele chegou ele me deu muita moral, sempre me orientando. A partir do Atlético-MG, que eu entrei bem, ele passou a conversar direto comigo e me dar muita moral e eu assumi lugar na equipe titular”, contou. “Nosso grupo é fantástico, muito fechado, sempre unidos.” 

Praxedes evitou entrar em polêmicas sobre a arbitragem, reclamada pelos gremistas em dois lances: “Se ele marcou, então penso que está validado e o professor entendeu que era o certo”, comentou. Ele preferiu enaltecer a reação colorada de virar o clássico: “Vínhamos fazendo um bom jogo, um bom primeiro tempo, no segundo tempo não voltamos tão bem, eles foram superiores. Porém, nos lutamos até o fim, até o último minuto”, destacou ele, que garantiu: “Vai ficar marcado para o resto da vida, esta vitória”.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895