Ramírez comemora desempenho e revela a felicidade de chegar a uma final com o Inter

Ramírez comemora desempenho e revela a felicidade de chegar a uma final com o Inter

Treinador adiantou que pode usar time alternativo contra o Táchira na Venezuela, devido ao cansaço

Correio do Povo

Miguel Ángel Ramírez comemorou o volume ofensivo do Inter na semifinal contra o Juventude

publicidade

O técnico Miguel Ángel Ramírez revelou estar muito satisfeito com o rendimento que o Inter teve na vitória por 4 a 1 sobre o Juventude. Em especial, a oportunidade de fazer a sua primeira final com o comando do time colorado. Ramírez destacou as dificuldades criadas pelo adversário e o bom rendimento nas oportunidades que teve na partida deste sábado.

“Sabíamos que íamos ter dificuldades, pois o treinador havia declarado que viria (ao Beira-Rio) para tentar jogar, mas estávamos preparados para um jogo agressivo e propositivo. O profe (Marquinhos Santos) está fazendo um trabalho muito bom. Eles tornaram o jogo muito difícil, mas aproveitamos muito bem os momentos que tivemos mais espaços. Quanto mais espaço, mas ritmo podemos dar e sermos agudos. Profundos. Aproveitamos as chances”, destacou.

Ramírez voltou a destacar que não se preocupa com as chances desperdiçadas, mas com o volume ofensivo que a sua equipe cria. Para ele, o time criou bastante e marcou os quatro gols com mérito pelo trabalho feito pelos seus comandados.

A primeira decisão 

O treinador espanhol comentou também sobre a sua primeira decisão no clube. “Poder jogar uma final me deixa muito feliz e muito orgulhoso do trabalho da equipe. Não é todo mundo que tem a possibilidade de jogar uma final. São poucos os times que chegam a uma final. Para mim, como treinador, vai exigir estudo, análise e concentração, pois seremos expostos a um adversário que também quer ser campeão. Meus jogadores irão ao limite de estresse e de suas condições. É uma final e quanto mais jogamos, creio, que temos chance de sermos melhores profissionais, pois poucas vezes isso acontece”, ressaltou.

Com o início da final prevista para o próximo final de semana, com a série de compromissos e com uma longa viagem até a Venezuela, Ramírez deixou em aberto a possibilidade de escalar um time alternativo no estádio Pueblo Nuevo.

“Depois de jogar sete partidas, começam a pesar as pernas e hoje vimos isso. Muitas partidas com pouco tempo de recuperação é complicado. Quando ganhamos, é um pouco melhor, pois a cabeça está alegre e mais fresca, mas é difícil. É complicado, mas sabemos que não para. Teremos que mudar o time e ir por um resultado que nos aproxime da classificação na Libertadores”, afirmou.

O Inter viaja na manhã de domingo para San Cristóbal, na Venezuela. Na segunda, treina na cidade do jogo e na terça-feira, às 19h15min, Colorado enfrenta o Deportivo Táchira, no estádio Pueblo Nuevo. A equipe de Miguel Ángel Ramírez é a líder com os mesmos seis pontos do Always Ready, da Bolívia, mas tem saldo sete contra três.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895