Reunião dá início à transição de poder no Inter

Reunião dá início à transição de poder no Inter

Primeiro encontro ainda não define a principal pendência desta virada de ano: quando Abel Braga deixará o cargo

Fabrício Falkowski

No primeiro encontro, Barcellos recebeu informações sobre o grupo atual

publicidade

Fazer uma transição de poder suave e civilizada, de forma que os jogadores não sintam mudanças significativas no cotidiano de trabalho e tenham o mínimo de interferências na corrida do Campeonato Brasileiro, que vai até fevereiro. Este é o projeto tanto do presidente Marcelo Medeiros quanto do seu sucessor, Alessandro Barcellos. A primeira reunião envolvendo os atuais e os próximos dirigentes aconteceu ontem, no CT Parque Gigante. Outros devem ser realizados nos próximos dias. O problema é conciliar esse desejo com a realidade, que não contempla a permanência de Abel Braga.

No primeiro encontro, Barcellos recebeu informações sobre o grupo atual – que ele conhece bem, por ter sido vice de futebol até setembro. Além dele, participaram o diretor executivo, Rodrigo Caetano, e os vice-presidentes, João Patrício Hermann e Alexandre Chaves Barcellos. “O objetivo é fazer uma transição tranquila, principalmente no futebol. O mais importante sempre será o Inter”, enfatizou Hermann, que faz parte da gestão Medeiros, mas é cotado para ser vice de futebol com Barcellos.

Na reunião, foi apresentado um balanço do grupo e uma projeção de programação para as próximas semanas. Porém, Barcellos não deu indícios de seus planos. O grande dilema do próximo presidente é Abel Braga, já que a contratação de Miguel Ángel Ramírez, que já se despediu do Independiente Del Valle, está alinhavada. A questão é definir quando ele assumirá: na virada do ano ou após o fim do Campeonato Brasileiro. A tendência é que Ramírez se apresente e assuma o cargo.

Porém, há um respeito grande a Abel, não só pela sua história no Inter, como também pelo trabalho que vem fazendo nas últimas semanas. Por isso, um encontro com o técnico deve acontecer nos próximos dias. A situação de Rodrigo Caetano não foi tratada. A pessoas próximas, o executivo diz que não avaliará as propostas de outros clubes antes de 31 de dezembro, quando se encerra o contrato. Barcellos gostaria de contar com Paulo Bracks, diretor de futebol do América Mineiro. Bracks afirmou à imprensa mineira que não foi procurado pelo Inter.

Veja Também

 

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895