Rodrigo Caetano mantém cautela sobre mais reforços no Inter: "Pouco provável"

Rodrigo Caetano mantém cautela sobre mais reforços no Inter: "Pouco provável"

Executivo de Futebol reiterou as dificuldades financeiras que o clube atravessa e elogiou desempenho do grupo atual

Correio do Povo

Caetano se manifestou nesta quinta-feira em coletiva

publicidade

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, após a apresentação do novo reforço colorado, o meia Mauricio, de 19 anos, o diretor-executivo de Futebol, Rodrigo Caetano, não descartou a possibilidade de novos reforços nesta temporada, mas afirmou considerar a hipótese "pouco provável". Ele reiterou as dificuldades financeiras que o Inter enfrenta neste ano.  

"Não posso cravar que não vai chegar ninguém ou que não vai sair. Não temos nenhuma negociação em curso, nem com possibilidade de finalização imediata. Trabalharemos no final de semana para tentar viabilizar alguma coisa. Volto a dizer, não é gerar uma falsa expectativa daquilo que temos como limitação. Em um mundo ideal, teríamos mais opções, mas vejo como pouco provável que a gente consiga sacramentar algo antes dos prazos encerrarem", explicou. 

O tema "reforços" vem sendo recorrente nas coletivas do técnico argentino Eduardo Coudet, que entende que precisa de mais atletas para ser competitivo nas três frentes que sua equipe enfrenta - Libertadores, Brasileirão e Copa do Brasil.

O dirigente não tira a razão do treinador, mas exalta o trabalho da direção, da comissão e do grupo de jogadores. "Eu sou um diretor-executivo de futebol. Qual dos dirigentes remunerados de futebol que não gostaria de ter um elenco vasto? Fazendo maiores investimentos?  É um desejo. Mas neste momento, as diretrizes do presidente, do Conselho de gestão, dentro do cenário que vivemos, acabaram nos impedindo", garantiu. 

"Gostaríamos de ter um grupo com maiores opções, mas não invalida dizer que temos um bom elenco, um grupo de qualidade e qualificado. Não é nenhum discurso conflitante, mas é uma realidade. Nos resta lutar com as armas que temos, e temos boas armas. Se não melhor, em igualdade com os grandes clubes", acrescentou.

Com contrato no Inter até o final do ano, Caetano garante que seu trabalho não é afetado pelo período eleitoral que o clube enfrenta, no entanto, reconhece que a capacidade de investimento fica "engessada" pelos compromissos estatuários. 

"Vou estar o tempo todo com meu nível de comprometimento elevado como sempre foi e planejando o futuro do Inter. Independente de como será o 2021. Talvez algum tipo de influência nessa questão eleitoral, é o que o clube fica um pouco engessado no que diz respeito a antecipação de algum recurso, pois isso não pode acontecer estatutariamente. Premiações por desempenho esportivo e pay-per-view só ocorrem em março e o dezembro está aí com compromissos", explicou.

Segundo o diretor-executivo, o dinheiro de premiações, como por avançar na Copa do Brasil, será utilizado para duas prioridades principais: salários dos atletas e direitos de imagem. "São nossos focos 1 e 2. Outro ponto é que parte das premiações são direcionadas para os atletas e infelizmente não conseguimos honrar isto pelo grave momento financeiro que enfrentamos. Vale ressaltar que grupo está sendo 100% compreensivo. Não diminuem o compromisso e a dedicação. Exalto o profissionalismo deles", concluiu.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895