Uendel ressalta necessidade do Inter pontuar para não perder vaga no G-6
capa

Uendel ressalta necessidade do Inter pontuar para não perder vaga no G-6

Com a lesão de Zeca, lateral será o titular na lateral esquerda contra o Ceará

Por
Correio do Povo

Jogador projetou que "muita coisa pode acontecer" nos últimos jogos do Brasileirão

publicidade

Depois da derrota no Gre-Nal, o Inter volta a campo nesta quinta-feira, a partir das 19h30min, visando se manter no grupo que dá vaga à Libertadores de 2020. O adversário é o Ceará, que precisa dos pontos para se afastar da zona de rebaixamento. Para o lateral-esquerda Uendel, o confronto é fundamental para as pretenções do clube. "Talvez o eles estejam apostando as fichas nos jogos em casa, sabem que são fortes. Cabe a gente ser inteligente, saber que vão fazer uma pressão muito forte no início da partida. É um jogo perigoso e fundamental, não só por termos perdido um clássico, mas também pela tabela: olhando a classificação, sabemos que precisamos de pontos nessa briga pelo G-4 e G-6. Precisamos pontuar o quanto antes para não deixar o São Paulo e o Grêmio escaparem", alerta.

O esquema tático para a partida ainda é desconhecido. Não sabe se o técnico Zé Ricardo vai optar pelo tripé de volantes, como era com Odair Hellmann, ou por dois jogadores na posição, escolha que deu certo em sua estreia contra o Bahia, mas falhou contra o arquirrival no último domingo. "Particularmente, não tenho opção, estamos acostumados a jogar nos dois sistemas. E cada jogo tem uma história. Às vezes encaixa num e todo mundo acha que é esse o sistema, mas no outro não funciona, porque o desenho tático do adversário influencia nessa questão", diz o volante. Ele comenta também que para sua função, pouco muda a escolha.

Uendel vai atuar no lugar do lesionado Zeca e deve permancer no time nos outros oito jogos restantes. "Parece pouco, mas é muita coisa que pode acontecer", comenta, projetando que a sequência pode ajudá-lo na próxima temporada. Para o ano que vem, o Inter ainda não tem técnico, ao menos oficialmente. Zé Ricardo tem contrato até 31 de dezembro. "Pena ele não ter tanto tempo para trabalhar o que gostaria, porque é um treinador muito inteligente e que nos passou uns conceitos que a gente não estava fazendo", diz.

Questionado sobre os rumores de que o argentino Eduardo Coudet está acertado com o Colorado, Uendel ressaltou que "não sabe o que vai acontecer no futuro e não tem nenhuma posição oficial do clube". "Cabe fazer o melhor para conseguir o nosso objetivo de deixar o clube na Libertadores no ano que vem, independente se o Zé vai ficar. Não vamos mudar a forma de jogar por causa disso. Não podemos ficar desatento com essa parte do G6, hoje estamos dentro, mas os adversários estão chegando", finaliza.