Marinho brilha, e Santos vence o Delfín fora de casa na Libertadores

Marinho brilha, e Santos vence o Delfín fora de casa na Libertadores

Vitória de 2 a 1 no estádio Jocay, no Equador, aproximou o Peixe das oitavas de final do torneio

AFP

Marinho brilha, e Santos vence o Delfín fora de casa na Libertadores

publicidade

O Santos derrotou o equatoriano Delfín por 2 a 1 fora de casa nesta quinta-feira, se mantendo assim na liderança do Grupo G da Copa Libertadores e se aproximando das oitavas de final da competição. O atacante Marinho abriu o placar no estádio Jocay aos 18 minutos e o equatoriano Juan Rojas empatou no segundo tempo. Mas na reta final Jean Mota garantiu a vitória para o time brasileiro.

O Santos chegou aos 10 pontos faltando duas rodadas para o encerramento da fase de grupos, seguido pelo argentino Defensa y Justicia (6), que na quarta-feira derrotou o paraguaio Olimpia (5) por 2 a 1. Com apenas um ponto ganho, o Delfín é o lanterna.

O campeão equatoriano ficou com dez jogadores aos 40 minutos, após a expulsão do zagueiro uruguaio Carlos Rodríguez, que recebeu o segundo cartão amarelo.

Soteldo se destaca 

O técnico Cuca colocou em campo um time disposto a dominar a partida. E desde o início o time paulista garantiu a posse de bola com a rápida recuperação de Pará e Carlos Sánchez, e as boas investidas do venezuelano Yeferson Soteldo, principal arma ofensiva dos santistas.

Já o campeão equatoriano recorreu aos chutes de longa distância para incomodar o goleiro João Paulo, que soube afastar qualquer tentativa de perigo. Por vezes, o duelo era lá e cá, mas os brasileiros souberam ser mais eficazes.

Logo aos 2 minutos Soteldo assustou com um chute colocado que passou perto do gol de Dennis Cardozo. O time equatoriano respondeu pouco depois, aos 5 minutos. José Valencia fez uma bola jogada pela direita e disparou de pé esquerdo obrigando o goleiro João Paulo a espalmar para a linha de fundo.

Aos 17, veio o gol do Santos. Soteldo recebeu um lançamento pela esquerda e avançou, se livrando de um marcador. Ele cruzou e a bola encontrou o ponta Marinho, que desviou de cabeça para o fundo das redes.

No final da primeira etapa (40) os equatorianos sofreram outro duro golpe. O zagueiro Carlos Rodríguez cometeu uma falta e foi expulso, dois minutos depois de receber o primeiro cartão amarelo.

Delfín reage mas Santos desempata

No segundo tempo o técnico argentino Miguel Ángel Zahzú teve que reorganizar as linhas de seu time e recuou o meia Charles Vélez para compensar a desvantagem numérica. Mesmo com a vantagem no placar e um jogador a mais, o Santos não se acomodou no início do segundo tempo e aos 5 minutos Felipe Jonatan cruzou para Marinho, que chutou de pé esquerdo mas a bola subiu demais.

O Delfín respondeu aos 10 minutos, quando Valencia cruzou e Janner Corozo cabeceou para perto do gol santista. E o time equatoriano acabou sendo premiado. Janner Corozo recebeu na área, ajeitou e cruzou. A bola desviou na defesa do Santos e sobrou para Rojas, que mandou para o fundo das redes.

Mas a alegria durou pouco. Oito minutos depois, Raniel recebeu um lançamento de Marinho e cruzou rasteiro para Jean Mota que chutou de pé esquerdo desempatando a partida. A partir de então, com pouco tempo pela frente e um jogador a menos, a reação do Delfín ficou ainda mais difícil. Já ao time alvinegro bastou administrar a vantagem.

Na próxima rodada, o Santos vai visitar o Olímpia enquanto o Delfín recebe o Defensa y Justicia.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895