Moscou chama de "sem sentido" acusações de doping da seleção na Copa de 2014
patrocinado por

Moscou chama de "sem sentido" acusações de doping da seleção na Copa de 2014

Imprensa britânica revelou que 23 jogadores russos estão sob investigação

AFP

Vice-primeiro ministro russo Vitaly Mutko chamou de "sem sentido" acusações de doping

publicidade

As revelações da imprensa britânica neste fim de semana de que 23 jogadores da seleção russa na Copa do Mundo do Brasil 2014 estão sendo investigados pela Fifa por suspeitas de doping são "sem sentido", declarou o vice-primeiro ministro russo, Vitaly Mutko. "Nunca houve e nunca haverá problemas de doping em nosso futebol", declarou Mutko, que também é o presidente da Federação Russa de Futeubol, à agência TASS. "Os jogadores são submetidos regularmente a controles e também são testados depois de cada jogo", afirmou o dirigente. "O que escreveram é sem sentido. Não se deem o trabalho de ler a imprensa britânica hoje", completou.

Os jornais Mail on Sunday e The Guardian informaram em sua edição dominical que a integridade dos jogadores que participaram do Mundial de 2014, assim como outros onze jogadores russos, estão sendo investigados pela Fifa por suspeita de doping. Um porta-voz da entidade teria manifestado, segundo estes jornais, que a investigação "continua em andamento". Contudo, a Fifa desmentiu neste domingo em nota qualquer suspeita sobre os jogadores que participaram na Copa do Mundo.

Os 34 jogadores supostamente investigados, segundo a imprensa britânica, figuram na lista "1 mil pessoas dignas de interesse" estabelecida pelas autoridades mundiais na luta contra o doping. O Mail on Sunday alertou para o fato de não haver provas de doping contra os jogadores russos no momento.

Quatro jogadores que participaram da última edição da Copa do Mundo disputaram a Copa das Confederações deste ano, da qual a Rússia foi eliminada no sábado, ao perder para o México (2-1) na última rodada da fase de grupos.
"Todos os jogadores participantes da Copa do Mundo da Fifa-2014, incluindo a equipe russa, se submeteram a controles antes da competição e depois dos jogos e todos derem negativos", garantiu a Fifa.

"A Fifa estava a cargo dos controles e todas as mostras foram enviadas e analisadas pelo laboratório credenciado pela Wada (Agência Mundial Antidoping) de Lausana. O mesmo procedimento foi aplicado para a Copa das Confederações em andamento, na qual todas as análises efetuadas até o momento deram negativo", continuou a entidade.

Estas novas acusações voltam a colocar em dúvida o esporte na Rússia, onde está sendo realizada a Copa das Confederações, uma espécie de ensaio-geral para a Copa do Mundo do ano que vem.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895