Neymar desfalca o Brasil e imprensa garante Messi para superclássico

Neymar desfalca o Brasil e imprensa garante Messi para superclássico

Atacante brasileiro sente dores na coxa; craque argentino só jogou 20 minutos contra o Uruguai e era dúvida na semana

AFP

Duas seleções voltam a se enfrentar nesta terça-feira, às 20h30min, em San Juan

publicidade

O atacante Neymar não vai enfrentar a Argentina de Lionel Messi nesta terça-feira, em San Juan, depois de sentir "dores na coxa", anunciou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta segunda, na véspera do superclássico pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022.

"Após o treino realizado na Academia de Futebol do Palmeiras na manhã desta segunda-feira (15), o atleta Neymar Jr. queixou-se de dores na região do adutor da coxa esquerda (...) Por não haver tempo hábil para a realização de exames complementares, a comissão técnica optou por preservar o jogador, que não viajará com a delegação da Seleção Brasileira para San Juan", diz o comunicado da CBF.

Do lado dos hermanos, o técnico Lionel Scaloni garantiu a presença de Messi nesta terça-feira, em San Juan, às 20h30min.  "Ele está bem fisicamente. Está confirmado que jogará, esperamos que esteja bem", disse Scaloni em entrevista coletiva no centro de treinamento e concentração ao sul de Buenos Aires, sem esclarecer se o astro será titular.

A imprensa argentina afirma que o camisa 10 vai jogar desde o início. O craque vinha enfrentando problemas físicos e só jogou 20 minutos contra o Uruguai (1 a 0) na rodada anterior.

Veja Também

O Brasil, líder com 34 pontos, está classificado para a Copa do Mundo. A Albiceleste, segunda com 28, está a um passo de garantir a vaga. Questionado sobre outras lesões, como a do meia Leandro Paredes, e o meia-ofensivo Paulo Dybala, ele respondeu que ainda precisam ser "avaliados" e que será decidido "no último minuto".

A seleção verde-amarela garantiu a vaga na Copa do Mundo ao vencer a Colômbia por 1 a 0 e a Argentina vem de uma vitória de 1 a 0 sobre o Uruguai em Montevidéu. Uma combinação de resultados pode dar a ela a vaga com 15 pontos em disputa.

"O jogo é de muita dificuldade. É uma seleção que tem as coisas muito claras. É a mais vertical do Brasil nos últimos tempos, não elabora tanto", disse o técnico.

Os dois estão invictos, mas há hegemonia futebolística dos brasileiros em âmbito regional. "Eles (brasileiros) recuperam a bola rapidamente e não perdoam. Temos que tomar precauções. Temos que aproveitar, com um campo bom e um estádio quase cheio", frisou Scaloni.

O treinador pediu para "desfrutar" o clássico e lembrou que "o último jogo (entre os dois) não pôde acontecer".

Foi assim que o treinador lembrou do jogo que foi suspenso em São Paulo pelas Eliminatórias, em decorrência de uma invasão do gramado de fiscais de saúde anticovid-19. A Fifa ainda não decidiu se o jogo vai ser disputado ou atribuir pontos a uma das duas seleções.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895