Hugues Zango conquista primeira medalha de Burkina Faso em Olimpíada

Hugues Zango conquista primeira medalha de Burkina Faso em Olimpíada

Atleta africano fez história no salto triplo da Tóquio 2020

Agência Brasil

Zango avaliou que poderia ir mais longe, mas festejou conquista

publicidade

Os dois primeiros saltos decepcionantes de Hugues Fabrice Zango, de Burkina Faso, na final do salto triplo na Olimpíada de Tóquio (Japão) deixaram sua família, que assistia ao evento ao vivo de sua casa em Uagadugu, estressada e com medo de que ele pudesse perder uma medalha. Mas o atleta acertou a técnica e conseguiu entrar para a história como primeiro medalhista de seu país em uma edição dos Jogos.

Torcendo para ele do sofá, o pai, o irmão e as irmãs de Zango explodiram de alegria quando o atleta saltou 17,47 metros (m) em sua terceira tentativa, levando-o brevemente ao segundo lugar, atrás do português Pedro Pichardo. Zango terminou em terceiro, atrás de Pichardo e do chinês Zhu Yaming, que ficou com a medalha de prata.

“Estávamos realmente com muito medo. Depois das duas primeiras tentativas, estávamos muito estressados, realmente não sabíamos como as coisas aconteceriam”, disse o irmão de Zango, Alex Cedric.

Zango disse que esperava fazer melhor do que o bronze, mas que estava orgulhoso de ganhar a primeira medalha olímpica de seu país. “Burkina Faso está muito feliz. Todos estão felizes. Acho que eles vão dar uma grande festa quando eu voltar”, declarou.

Zango conquistou a medalha de bronze, a primeira do país da África Ocidental desde que começou a participar das Olimpíadas em 1972, no Dia da Independência de Burkina Faso.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895