Premier League cria sistema de alerta para insultos nas redes sociais

Premier League cria sistema de alerta para insultos nas redes sociais

Instituição irá fazer uma investigação e, se necessário, entrará com ações contra os agressores

Por
AFP

Premier League pretende fazer uma investigação e entrar com ações, caso necessário, para punir insultos discriminatórios


publicidade

A Premier League anunciou na quarta-feira que está promovendo uma plataforma que permite que jogadores, treinadores, dirigentes e membros de suas respectivas famílias denunciem insultos discriminatórios daqueles que são vítimas nas redes sociais. "Cada caso será estudado, apontado para a plataforma em questão e será objeto de uma investigação. E, se necessário, de uma ação legal", explicou a Premier League em seu comunicado.

"Insultos discriminatórios (racistas, sexistas ou homofóbicos, entre outros) na internet são inaceitáveis, independentemente das circunstâncias. Enfrentá-los deve ser uma prioridade", disse Richard Masters, chefe da Premier League. "Existem muitos casos em que jogadores e suas famílias são alvos de insultos infelizes com caráter discriminatório e ninguém deveria sofrer isso", acrescentou.

O ex-atacante da seleção inglesa Ian Wright, atualmente comentarista da BBC, denunciou recentemente os insultos racistas que recebe "diariamente", especialmente por seu apoio ao movimento Black Lives Matter. Em maio, um adolescente irlandês que lhe enviou mensagens privadas racistas se entregou à polícia depois que o ex-jogador as divulgou.

Entre vários termos racistas contra Wright, que agora tem 56 anos, esse adolescente havia dito a ele: "Se eu pegar o corona (vírus), vou tossir na sua cara, darei sua sentença de morte".

"Eu sei que nem deveria ler essas mensagens, mas elas me atingiram muito. Ele é um garoto! Esse garoto tem uma linha direta até mim e pode me enviar isso sem nenhum problema", escreveu Wright quando publicou as capturas de tela das mensagens recebidas.

No início da temporada, os jogadores do Manchester United, Paul Pogba e Marcus Rashford, e do Chelsea, Tammy Abraham, foram alvo de insultos racistas depois de perderem pênaltis.


O Twitter prometeu se reunir com representantes do Manchester United, reconhecendo que poderia "fazer melhor para proteger os usuários". "O comportamento racista não tem lugar em nossa plataforma e nós o condenamos fortemente", acrescentou o Twitter naquela ocasião.