Robinho volta a ser condenado a 9 anos de prisão pela Justiça italiana
patrocinado por

Robinho volta a ser condenado a 9 anos de prisão pela Justiça italiana

Atacante brasileiro teria participado de estupro coletivo contra uma mulher albanesa em 23 de janeiro de 2013

R7

Atacante brasileiro teria participado de estupro coletivo

publicidade

A corte de apelação da Justiça italiana confirmou, nesta terça-feira, a condenação em segunda instância de Robinho e de seu amigo Ricardo Falco a 9 anos de prisão por estupro coletivo de uma jovem albanesa na madrugada de 23 de janeiro de 2013, numa boate de Milão.

A defesa do jogador, que na época atuava pelo Milan, afirmou que entrará com pedido de recurso na Corte de Cassação, a terceira instância italiana.

Nas motivações da sentença, os juízes afirmam que o ex-atacante do Milan e seus "cúmplices" manifestaram "particular desprezo" em relação à vítima, que foi "brutalmente humilhada", e tentaram "desviar o inquérito oferecendo aos investigadores uma versão falsa dos fatos e previamente combinada".

A vítima estava em uma boate com o então jogador do Milan e cinco amigos dele. Em determinado momento, segundo a vítima, Robinho levou a esposa para casa. Os réus teriam então oferecido bebida à albanesa até "deixá-la inconsciente e incapaz de se opor".

De acordo com a reconstrução feita pelo Ministério Público, o jogador e seus amigos levaram a jovem para o guarda-volumes da boate e, se aproveitando de seu estado, mantiveram "múltiplas e consecutivas relações sexuais com ela".


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895