capa

Arthur fala sobre retorno a Porto Alegre: "Chega a arrepiar"

Meia da Seleção também falou sobre corte de Neymar e reforço de Willian, convocado para a vaga do atacante do PSG

Por
Correio do Povo

Arthur afirmou estar feliz com retorno a Porto Alegre

publicidade

Em entrevista coletiva no final da tarde desta sexta-feira, após treino no CT Luiz Carvalho, o meia Arthur, ex-Grêmio e atualmente no Barcelona, falou sobre estar de volta a Porto Alegre. Com a Seleção, o atleta disputa amistoso contra Honduras, no Beira Rio, no domingo, às 16h, no último teste antes da estreia na Copa América. 

Questionado, falou sobre o carinho especial pela cidade e pelo Grêmio, onde a seleção treina desde a chegada na Capital, no CT Luiz Carvalho. "Chega a arrepiar. Foram anos maravilhosos da minha vida aqui, com muitas vitórias. É o clube do meu coração e que me projetou. Estou aqui vestindo a camisa da seleção brasileira graças ao que aconteceu aqui. Estou muito feliz em poder voltar a minha casa", comentou. 

Arthur fez questão de frisar o carinho por dois ex-companheiros de Grêmio: Luan e Renato. Disse já ter conversado com o primeiro, e pretende encontrar o ex-técnico, já que a seleção está hospedada no mesmo hotel no qual Renato fica quando está na Capital. 

Ele não fugiu das questões sobre o corte de Neymar. Elogiou o companheiro, mas minimizou a ausência, mesmo tratando-se de uma referência técnica. "Perdemos um grande jogador, mas o importante é que temos outras peças para suprir. Priorizamos o coletivo, é algo que o Tite sempre fala e cobra bastante", destacou.

O meia do Barcelona falou também sobre a convocação de Willian, do Chelsea, o substituto de Neymar após o corte do atacante do PSG, e as críticas feitas ao técnico pelo nome escolhido. "Qualquer que fosse a escolha do Tite, teriam opiniões contrárias. Mas é um jogador que já nos ajudou muitas vezes, então tem todo o nosso apoio". Arthur falou também sobre o bom momento vivido pelo atleta, com o título da Europa League no fim desta temporada. 

Por fim, falou sobre as diferenças de função exercidas no meio campo da Seleção e do Barcelona, conforme pedidos de Tite e Ernesto Valverde, seu comandante no clube catalão. Explicou que, na Espanha, começa a participar mais a frente das construções de jogada, atrás da linha do adversário. Na seleção, com mais liberdade dada por Tite, consegue vir buscar a bola mais recuado.

O Brasil encara a seleção de Honduras, no domingo, às 16h, no Estádio Beira Rio, no último amistoso preparatório. A estreia na Copa América acontece na sexta-feira, 14 de junho, contra a Bolívia, no Morumbi, às 21h30min.