Dunga valoriza futebol coletivo com ausência de Neymar na Seleção
capa

Dunga valoriza futebol coletivo com ausência de Neymar na Seleção

Técnico convocou o Brasil para encarar Chile e Venezuela

Por
AFP

Quem é forte: a matilha ou o lobo?, questiona Dunga em coletiva

publicidade

Sem poder contar com o capitão Neymar, que está suspenso, Dunga apresentou poucas novidades na convocação para as duas primeiras rodadas das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Marcelo Grohe e Alisson foram novamente chamados para compor o grupo da Seleção Brasileira. O treinador acredita que o Brasil tem a obrigação de ter um plantel forte para a disputa da competição, capaz de suprir a ausência do atacante do Barcelona.  

"Uma equipe não vence com apenas um jogador. É preciso ter o coletivo. Quem é forte? A matilha ou o lobo? Um não vive sem o outro. Quando tivermos um grupo desse calibre, as coisas vão acontecer naturalmente. Ninguém ganha sozinho", declarou em entrevista coletiva.

O Brasil inicia campanha nas eliminatórias com um dos mais complicados jogos da competição: contra o atual campeão da Copa América, o Chile, no dia 8 de outubro, em Santiago. "O Chile tem futebol muito dinâmico, agressivo. Campeão da Copa América. Sempre tivemos dificuldades contra eles. Tivemos um jogo recente na Inglaterra e foi complicado (vitória por 1 a 0 em amistoso)", lembrou Dunga. O segundo jogo será contra a Venezuela, no dia 13, no Castelão de Fortaleza.

Dunga escolheu um dos jogadores mais vitoriosos da história do Brasil, Cafu, campeão mundial em 1994 e 2002, para a função de auxiliar temporário.