Sem Messi, PSG sofre gol no fim e empata em 2 a 2 com o Leipzig
patrocinado por

Sem Messi, PSG sofre gol no fim e empata em 2 a 2 com o Leipzig

No grupo, City atropelou o Club Brugge por 4 a 1 e lidera a chave

AE

PSG é segundo colocado no Grupo B

publicidade

Um pênalti infantil de Kimpembe nos acréscimos do jogo, na Alemanha, custou uma vitória importante ao Paris Saint-Germain e também a liderança do Grupo A da Liga dos Campeões. Com o empate por 2 a 2, diante do RB Leipzig, nesta quarta-feira, o time francês foi ultrapassado pelo Manchester City. Ao golear o Brugge, por 4 a 1, o time inglês subiu para o primeiro lugar, com nove pontos, diante de oito dos franceses. Com um, os alemães estão eliminados e o Brugge, com quatro, ainda sonha.

O gol no fim estragou um dia que seria perfeito e de redenção para Wijnaldum. O holandês foi contratado sob enorme expectativa, mas não vinha justificando tamanho investimento e o "chapéu" no Barcelona, com o qual tinha tudo acertado. Reserva de Verratti e Messi, ele finalmente se destacou. Nesta quarta-feira, substituiu o argentino, poupado, e fez os dois gols dos franceses que deixavam o time a um empate das oitavas de final da Liga dos Campeões até os 47 minutos do segundo tempo, quando surgiu o gol de empate.

O Barcelona tinha tudo acertado com o ex-meia do Liverpool quando o PSG entrou na história ao oferecer contrato e salário maiores. O destino de Wijnaldum, então, mudou para Paris. Alguns jogos depois, ele já era dado como fora dos planos do clube por não render o esperado. Mas as lesões de alguns titulares o fizeram voltar à cena.

Na rodada passada, também em jogo sofrido diante do Leipzig e virada no fim após 2 a 1 contra, Messi decidiu com dois gols. Desta vez, o astro ganhou um descanso por causa de dores musculares e o substituto cumpriu bem sem papel com os dois gols. Mas acabou frustrado com a bola na rede de Szoboszlai no fim.

Com poucos segundos, André Silva recebeu em posição ilegal e bateu para gigante defesa de Donnarumma. Mal soou o apito e os alemães mostraram que seriam extremamente agressivos para somar o primeiro ponto na competição.

Sem Messi, poupado por causa das dores musculares, a missão de conduzir o PSG ao ataque estava nos pés de Neymar e Mbappé, de volta após problemas no nariz e na garganta. Mas a dupla nem bem pegou na bola e já viu a explosão nas arquibancadas de Leipzig, na famosa lei do ex.

André Silva recebeu na ponta esquerda e cruzou com precisão para Nkunku, revelado nas categorias de base do clube francês, abrir o marcador de cabeça. Não comemorou por respeito. Responsável pela assistência, o português estava elétrico e dois minutos mais tarde sofreu pênalti de Danilo.

Pegou a bola e em cobrança sem força, mandou nas mãos de Donnarumma. O goleiro salvou o time de um enorme prejuízo com somente 11 minutos. Sem Verratti e Messi, o PSG não conseguia colocar a bola no chão e apelava à ligação direta, com zagueiros servindo os atacantes em jogadas sem êxito.

No primeiro ataque bem feito pelos visitantes, troca de passes de primeira em alta velocidade até Wijnaldum receber de Mbappé, livre, e decretar a igualdade no marcador a quem sofria pressão impressionante.

O gol foi uma ducha d'água fria aos alemães. Eram soberanos no campo e acabaram castigados no primeiro ataque do PSG. A torcida gritava alto para o desânimo não afetar seus jogadores, mas em um escanteio, novo castigo. O brasileiro Marquinhos desviou de cabeça e encontrou Wijnaldum livre. O auxiliar anulou, mas o VAR corrigiu a marcação. O Leipzig dominou a etapa toda e foi ao descanso em desvantagem.

A segunda etapa foi bem diferente. Com espaços para contragolpes, o PSG chegou muito ao gol adversário e até podia ampliar com o tanto de chances criadas e desperdiçadas, sobretudo por Mbappé. O goleiro do Leipzig trabalhou bem.

Sem saída senão atacar, o Leipzig se lançava inteiro ao ataque. E também assustou Donnarumma, bem quando exigido. O capitão Marquinhos era um gigante na defesa, cortando ótimas tramas dos alemães.

A pressão durou até o apito final, com os alemães corajosos e dispostos a empatar. Num cruzamento, o VAR flagrou um pênalti infantil de Kimpembe, que subiu nas costas do atacante. Desta vez quem assumiu a cobrança foi Szoboszlai, que não desperdiçou para felicidade dos alemães, que jogaram muito bem os dois confrontos com o PSG e não mereciam sair derrotados em ambos.

City vence de goleada

O Manchester City levou um susto quando a bola bateu na cabeça Stones e foi contra as próprias redes, igualando o placar em 1 a 1 no Etihad Stadium ainda no primeiro tempo. Foden havia aberto o placar em jogada iniciada por Gabriel Jesus e o domínio era amplo.

O Brugge queria surpreender na Inglaterra e até conseguiu levar a igualdade ao vestiário. Mas os ingleses espantaram a zebra após o descanso com gols de Mahrez e Sterling, vitais na campanha do vice da temporada passada, mas na reserva atualmente, e de Gabriel Jesus.

A goleada por 4 a 1 foi bastante comemorada e a vaga pode ser confirmada na próxima rodada, com um triunfo diante do PSG, na Inglaterra.

Real Madrid triunfa com ajuda de Vini Jr

Dois gols de Benzema com assistências do brasileiro Vinícius Júnior garantiram ao Real Madrid uma vitória por 2 a 1 sobre o Shakhtar Donetsk nesta quarta-feira, no Santiago Bernabéu, pela quarta rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões. A primeira bola colocada na rede pelo atacante francês, quando o jogo estava empatado sem gols, foi histórica, pois se tratou do milésimo marcado pelo Real Madrid em edições da competição.

Mais do que isso, o resultado levou o time espanhol aos nove pontos, o que o coloca na liderança provisório do Grupo D, posição que pode ser retomada pelo Sheriff, que tem seis pontos e enfrenta a Inter de Milão mais tarde. Já o Shakhtar ocupa a quarta colocação, com apenas um ponto.

Conhecido por montar elencos cheios de jogadores brasileiros, o Shakhtar entrou em campo com uma escalação brasileiríssima, com o zagueiro Dodô, os laterais Marlon e Ismaily, os meio-campistas Maycon, Tetê e Alan Patrick e o atacante Fernando entre os titulares. Alan foi quem começou mais inspirado, participando intensamente das jogadas ofensivas, tanto que acertou uma bola na trave aos nove minutos.

De qualquer forma, o Real também contava com qualidade brasileira a seu favor, seja mais atrás, com Eder Militão na defesa e Casemiro no meio de campo, ou lá na frente, onde Vinícius Júnior não demorou para usar seu talento. O atacante deu trabalho para a defesa e encontrou o caminho para o time merengue fazer história. Atento, ele roubou a bola de Marlon, dentro da área do Shakhtar e deu passe para Benzema, que marcou o milésimo gol do Real Madrid na história da Liga dos Campeões, feito jamais alcançando por nenhum outro clube.

Com a vantagem no placar, o time da casa passou a focar em manter a posse de bola, mas não teve sucesso na estratégia, pois logo se viu acuado, diante de um adversário com maior volume ofensivo. Então, aos 38 minutos, Fernando, atacante revelado pelo Palmeiras que deixou o Brasil em 2018, fez o gol de empate da equipe ucraniana, ao aproveitar um passe de peito realizado por Alan Patrick.

O segundo tempo começou com o Shakhtar todo no campo de ataque, mais uma vez acuando os donos da casa, o que irritou boa parte da torcida presente no Santiago Bernabéu. A irritação, contudo, não foi além, pois aos 15 minutos Vinícius Júnior serviu Benzema mais uma vez, após limpar a marcação e tabelar com Casemiro, e viu o francês marcar um belo um gol.

O time ucraniano tentou repetir a postura ofensiva, com certo sucesso em ocupar o campo de ataque, mas sem conseguir criar muitas chances claras de gol. Enquanto isso, o Real soube administrar a partida e teve até algumas oportunidades de fazer o terceiro, porém ficou satisfeito com o 2 a 1 no placar.

Enquanto o Real Madrid fazia a lição de casa, o Milan empatava por 1 a 1 com o Porto no San Siro, em jogo válido pelo Grupo B. A igualdade no placar complica ainda mais a situação da equipe italiana, ainda sem vencer um jogo sequer na Liga dos Campeões, com apenas um ponto somado justamente na partida de hoje, após três derrotas. O Porto é o vice-líder, com cinco pontos.

Em campo, o time português saiu na frente, com um gol marcado por Diaz ainda aos seis minutos do primeiro tempo, encerrado com a vantagem dos visitantes no placar. O empate veio apenas aos 16 minutos do segundo tempo, quando Mbemba marcou um gol contra.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895