Silvana Lima perde de tetracampeã mundial e não disputa medalha no surfe
patrocinado por

Silvana Lima perde de tetracampeã mundial e não disputa medalha no surfe

Brasileira foi superada por Carissa Moore, candidata principal ao ouro

AE

Surfista não conseguiu encaixar boas ondas num mar mexido

publicidade

Silvana Lima está fora da disputa por medalhas no surfe. A brasileira caiu nas quartas de final diante da tetracampeã mundial Carissa Moore, dos Estados Unidos, grande favorita ao ouro. Sem conseguir pegar boas ondas, num mar bastante mexido em Tsurigasaki, a cearense deu adeus com derrota por 14,26 a 8,30.

Vice campeã do mundo em 2018 e 2019 e acostumada a superar adversidades, Silvana entrou no mar para tentar desbancar a forte norte-americana, líder do ranking mundial. O desafio era "achar" melhores ondas com o mar bastante agitado e "quebrando" do que a atleta havaiana.

Moore foi logo abrindo com um 3,33. A resposta da brasileira, com 3,80, nem deu tempo de ser comemorado, pois a rival já foi logo aumentando o placar para 8,00, com manobra melhor e fechando a onda. A brasileira não tinha uma segunda boa nota com um terço de bateria disputado e parciais bem baixas.

Com muito vento, as surfistas não conseguiam encaixar as ondas e acabavam na espuma. A condição climática adversa era um adversário a mais. As rivais remavam, remavam, e nada de a brasileira arriscar. A havaiana arriscou e subiu um pouco mais sua nota, ao alcançar um 8,80. Necessitando de um cinco, Silvana caiu da prancha quando tentou.

O mar estava tão forte e desafiador que as surfistas optaram por estratégias distintas, bem distantes umas das outras. Moore num lado melhor. Eis que o técnico de Silvana entrou em ação e pediu para ela partir para onde estava a americana. Porém, foi a havaiana quem subiu, para 11,00. A brasileira pegou uma razoável onda e foi a 8,30. A disputa estava aberta com pouco mais de 8 minutos. Precisava de onda 6,50 no balançado mar.

Nada deu certo para a brasileira dali em diante, e quem melhorou foi Moore, subindo a 14,26. Silvana necessitava de duas belas ondas. Nem teve outra tentativa para arriscar e acabou caindo diante da grande favorita ao ouro após bela competição.

No domingo, a brasileira Tatiana Weston-Webb já havia sido eliminada nas oitavas de final. Ela era mais cotada ao pódio por ser a atual quarta colocada do ranking do Circuito Mundial. Com estas eliminações, o surfe brasileiro agora aposta nas medalhas de Gabriel Medina e Italo Ferreira, que estão nas semifinais e já garantiram ao menos uma medalha para o Brasil.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895