Sob pressão da Rússia, Uefa pede mudança no uniforme da seleção da Ucrânia
patrocinado por

Sob pressão da Rússia, Uefa pede mudança no uniforme da seleção da Ucrânia

As duas seleções poderão se encontrar na competição apenas nas quartas de final da Eurocopa

AFP

Além da expressão na gola, o uniforme traz um mapa onde consta a região da Criméia, anexada pela Rússia em 2014

publicidade

Na véspera de sua abertura, a Eurocopa vive um conflito diplomático: interpelada pelas reclamações da Rússia, a Uefa determinou, nesta quinta-feira, uma modificação no uniforme da Ucrânia, por considerar "política" a frase "Glória aos heróis" denunciada por Moscou. "Após uma análise mais profunda, o slogan presente na gola da camisa ucraniana é claramente de natureza política" e, portanto, deve ser retirado (...) em vista das partidas de competição da Uefa", afirmou a entidade.

O governo russo criticava o uniforme desde segunda-feira. "Sejam heróis esportivos e terão a glória, é assim e não com slogans nacionalistas que honrarão a pátria", reagiu no Telegram Maria Zakharova, porta-voz do ministério das Relações Exteriores da Rússia, que elogiou o pedido da Uefa. "O esporte não é um campo de batalha, e sim de competição, não é uma arena política", acrescentou.

A Federação Ucraniana de Futebol afirmou à AFP que estava "em negociações para manter o slogan na camisa, pois a Uefa havia aprovado com antecedência o uniforme e todos os seus elementos, incluindo a frase 'Glória aos heróis'". De modo detalhado, a Uefa não atendeu todos os desejos da Rússia: a entidade europeia validou o contorno do mapa da Ucrânia que aparece na camisa, que inclui a Crimeia - anexada por Moscou em 2014 -, assim como territórios do leste, controlados por separatistas pró-Rússia, recordando que a forma corresponde às fronteiras do país reconhecidas internacionalmente.

A Uefa também rejeitou o protesto russo pela frase "Glória à Ucrânia", aprovada pela entidade desde 2018 e que "pode ser considerada como uma frase genérica e apolítica". Mas o problema vem da combinação com o slogan "Glória aos heróis", adicionado mais recentemente à parte interna da camisa e que não havia sido levado em consideração quando a entidade validou o uniforme ucraniano em dezembro de 2020, reconheceu a Uefa.

As frases "Glória à Ucrânia" e "Glória aos heróis", que começaram como um canto patriótico, se transformaram em um grito de adesão durante a revolta popular pró-Ocidente da praça Maidan, em 2014, que derrubou o presidente apoiado pelo Kremlin, Viktor Yanukovich. Moscou associa as frases a grupos nacionalistas da Segunda Guerra Mundial que lutaram contra os soviéticos e apresentou uma reclamação à Uefa.

"Esta combinação específica de dois slogans é considerada claramente de natureza política, com um significado histórico e militarista", afirmou a Uefa, que pediu a retirada da menção "Glória aos heróis".

A Ucrânia está no grupo C da Eurocopa, ao lado de Holanda, Macedônia do Norte e Áustria. A Rússia está no grupo B, com Bélgica, Finlândia e Dinamarca. Ucrânia e Rússia não podem se enfrentar antes das quartas de final.

Eurocopa começa na sexta-feira

Após cinco anos de espera, começa na sexta-feira a mais acrobática Eurocopa da história, espalhada por 11 países e afetada pela crise sanitária: 24 seleções sonham com o título, conquistado por Portugal em 2016. O pontapé inicial da competição será dado por Itália e Turquia na sexta-feira às 16h (de Brasília), no Estádio Olímpico de Roma. A 16ª edição da Eurocopa, que termina em 11 de julho em Londres.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895