Sport empata clássico com o Náutico, e Grêmio segue no G4 da Série B

Sport empata clássico com o Náutico, e Grêmio segue no G4 da Série B

Kayke e Richard Franco marcaram os gols do 1 a 1

AE

Sport empata clássico com o Náutico, e Grêmio segue no G4 da Série B

publicidade

Deu empate no clássico pernambucano, pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Neste sábado à noite, no Estádio dos Aflitos, o Sport saiu na frente no primeiro tempo, mas o Náutico buscou o empate no segundo. O placar de 1 a 1 fez justiça aos dois rivais, porém, não foi nada bom em termos de classificação.

O time rubro-negro perdeu a chance de se manter dentro do G-4, agora em quinto lugar, com um ponto a menos do que o Grêmio (21 a 20). E os mandantes, com 13 pontos, seguirão na zona de rebaixamento no complemento da rodada, neste domingo. Figurando no 16º lugar, vão retornar para o Z-4 quando Guarani, com 12, e CSA, com 13, se enfrentarem em Campinas.

O Clássico dos Clássicos é o terceiro mais antigo do Brasil, sendo disputado desde 1909. Só fica atrás do Grenal, entre Grêmio e Internacional, também de 1909, e do Clássico Vovô, entre Botafogo e Fluminense, disputado desde 1905. Sem perder há seis jogos para o rival, o Sport manteve a sua vantagem histórica. Em 536 jogos, são 211 vitórias, 147 empates e 178 vitórias do Náutico. 

Veja Também

Optando por utilizar o esquema com três zagueiros, o técnico Roberto Fernandes, do Náutico, conseguiu dominar o setor de meio-campo. E com uma marcação alta, empurrou o Sport para o campo defensivo. Apesar do domínio territorial, porém, não conseguiu criar chances reais para a abertura do placar. 

Mesmo errando passes e mostrando lentidão para sair da defesa, o Sport abriu o placar, aos 34 minutos. O lance começou numa falta cobrada por Luciano Juba em direção à pequena área, onde o zagueiro Rafael Thyere cabeceou de cima para baixo. A bola bateu na trave esquerda de Lucas Perri e voltou para a direção da cabeça de Kayke, que empurrou para as redes. 

Na comemoração, todos os jogadores foram em direção ao banco de reservas para abraçar o técnico Gilmar Dal Pozzo, muito criticado pela imprensa e questionado pela torcida. Por alguns momentos, o Náutico se descontrolou, relaxou na marcação e permitiu dois contra-ataques perigosos do Sport. 

Atrás no placar, o Náutico voltou para o segundo tempo ainda mais adiantado, já esperando uma postura bem defensiva do rival. Aos seis minutos, o meia Jean Carlos cobrou falta com força e Mailson ergueu os braços e rebateu. Mas sem as infiltrações, restou ao dono da casa só mesmo arriscar em chutes de fora da área e sem precisão. 

Mas de tanto insistir, uma hora deu certo. Victor Ferraz deu o passe para Richard Franco, que girou e bateu rasteiro. A bola quicou várias vezes no gramado e passou por Mailson. Tudo igual aos 29 minutos. 

Dentro da filosofia de seu técnico, o Sport passou apenas a se defender. O Náutico ainda tentou manter a pressão, mas de forma afoita. Aos 41 minutos, num contra-ataque, o Sport teve a maior chance de marcar o gol da vitória. Bill disputou com o zagueiro Bruno Bispo e ganhou a bola, passada de lado para Thiago Lopes. Ele invadiu a área e bateu forte, mas Lucas Perri fez uma grande defesa com os pés e a bola saiu para escanteio. No final, a torcida do Náutico vaiou muito seus jogadores. 

Pela 14ª rodada, o Náutico vai enfrentar o Tombense somente no outro domingo, dia 26, às 11h, em Muriaé (MG). O Sport vai receber o Brusque, no sábado, dia 25, às 19h, na Ilha do Retiro, em Recife (PE). 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895