Tite revela pedido de atletas por conversa com diretoria da CBF sobre jogar Copa América
patrocinado por

Tite revela pedido de atletas por conversa com diretoria da CBF sobre jogar Copa América

Técnico da Seleção não adiantou desejo dos jogadores, mas projetou resposta para após jogo das Eliminatórias

AE

Treinador enfatizou foco no jogo contra o Equador

publicidade

Após uma semana de silêncio na Seleção Brasileira, o técnico Tite concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira. O treinador evitou falar sobre a realização da Copa América no Brasil, prometendo que daria sua opinião sobre o assunto no futuro. Ele revelou que os atletas pediram uma conversa com a comissão técnica e o presidente da CBF, Rogério Caboclo, sobre o tema.

Veja Também

O Brasil irá receber a Copa América após as desistências dos dois países-sede: a Colômbia anunciou primeiro que deixaria de receber os jogos, por conta de protestos massivos e violentos; na Argentina, a razão foi o crescimento da pandemia de Covid-19. Poucas horas após a Conmebol revelar que a Argentina também havia abandonado a ideia, o Brasil foi escolhido como nova sede, apesar de também viver um momento ruim no enfrentamento ao coronavírus.

Tite contou ter tentado voltar o foco dos atletas para a partida contra o Equador pelas Eliminatórias, apesar da polêmica e de ter conversado ele mesmo com Caboclo. "Temos uma opinião muito clara e fomos lealmente, numa sequência cronológica, eu e Juninho, externando ao presidente qual a nossa opinião. Depois, pedimos aos atletas para focarem apenas no jogo contra o Equador. Na sequência, solicitaram uma conversa direta ao presidente. Foi uma conversa muito clara, direta. A partir daí, a posição dos atletas também ficou clara. Temos uma posição, mas não vamos externar isso agora. Temos uma prioridade agora de jogar bem e ganhar o jogo contra o Equador. Entendemos que depois dessa Data Fifa, as situações vão ficar claras", frisou o treinador.

Perguntado se os atletas que jogam na Europa pediram para não jogar a Copa América, o técnico voltou a dizer que a resposta virá no futuro. "Eles têm uma opinião, externaram ao presidente, e vão externá-la ao público em um momento oportuno. Inclusive, isso tem a ver com a ausência do nosso capitão, Casemiro, aqui nessa entrevista", disse, antes de voltar a pedir que a cabeça dos jogadores esteja no jogo com o Equador.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895