Volta do Gauchão não é prioridade, afirma Leite
capa

Volta do Gauchão não é prioridade, afirma Leite

Governador também indicou que não existe uma previsão para liberação dos treinos coletivos

Por
Correio do Povo

Governador disse que segue estudando o protocolo da FGF


publicidade

"A volta do futebol, neste momento, não é prioridade.” Dessa maneira enfática o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, respondeu sobre questionametnos sobre o retorno do estadual durante a live na qual falou sobre a atualização das bandeiras do modelo do Distanciamento Controlado. Em razão do avanço da Covid-19 no Estado, o esporte fica em segundo plano, por ora, e a retomada das partidas em 19 de julho já está praticamente descartada. 

De alento ficou a promessa de análise do documento da Federação Gaúcha de Futebol para os próximos dias: “Estamos analisando o protocolo da FGF e pretendemos apresentar uma resposta à proposta até o fim desta semana", afirmou Leite.

Segundo o governador, há uma reunião entre o governo do Estado e a FGF programada ainda para esta semana. Reivindicado pelos dirigentes da Dupla Gre-Nal, os treinos coletivos, de acordo com Leite, ainda não têm previsão para serem liberados.

Em entrevista à Rádio Guaíba, o secretário de Esportes e Lazer do Rio Grande do Sul, Francisco Vargas, indicou que, pela piora nos números da Covid-19 no Estado, a data prevista pela FGF para o retorno do futebol, 19 de julho, está “praticamente descartada”. 

“Essa data, infelizmente, complicou bastante. É uma questão matemática”, explicou o secretário. Segundo ele, os indicadores apresentados semanalmente pelo comitê de crise, que faz as avaliações sobre a Covid-19, tiveram uma piora significativa. 

Vargas lembrou que o governador não deseja “prejudicar as equipes do Gauchão 2020”, mas, segundo ele, “a verdade é incontestável e os números no Rio Grande do Sul pioraram muito”. No entanto, o secretário entende que, por se tratar de uma “bolha de saúde”, os treinos coletivos no CT's de Grêmio e Inter têm chances de serem liberados: “Controle surreal, absoluto, tanto de Grêmio, quanto do Inter”, apontou o secretário sobre os protocolos de saúde da Dupla Gre-Nal.