Correio do Povo

08/11/2018 20:17 - Atualizado em 08/11/2018 20:18

Notícias > Política

Servidores fazem abraço simbólico no Ministério do Trabalho, em Brasília

Bolsonaro anunciou a intenção de extinguir a pasta, que seria absorvida por outras

Bolsonaro anunciou a intenção de extinguir a pasta, que seria absorvida por outras- Crédito: Edu Andrade / Divulgação CP
Bolsonaro anunciou a intenção de extinguir a pasta, que seria absorvida por outras
Crédito: Edu Andrade / Divulgação CP

Servidores do Ministério do Trabalho fizeram nesta quinta-feira um abraço simbólico ao redor do edifício principal na Esplanada dos Ministérios. Foi uma reação coletiva ao anúncio do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de extinguir a pasta e desmembrá-la para outras três áreas – Educação, Economia e uma terceira a ser definida. O setor de Recursos Humanos do Ministério do Trabalho informou que cerca de 600 funcionários participaram do abraço coletivo no esforço de mostrar para a sociedade a relevância da pasta. A manifestação durou pouco mais de meia hora, mas houve tempo o suficiente para ocupar algumas pistas do Eixo Monumental, via localizada na área central de Brasília, e provocar lentidão no trânsito. Em seguida, as pistas foram liberadas. O auditor fiscal do trabalho Antônio Alves Mendonça Júnior, funcionário do Ministério do Trabalho, ressaltou que a pasta tem funções específicas e que extingui-la pode levar a um desequilíbrio nas atividades desempenhadas. “O ministério é a casa da fiscalização do trabalho, instrumento pelo qual se combate o trabalho infantil e se garante a saúde e a segurança do trabalhador. O órgão é essencial para equilibrar essa balança, que é desequilibrada por natureza. O Ministério do Trabalho é fundamental para garantir os direitos dos trabalhadores.”

POLÍTICA > correio@correiodopovo.com.br