Amazon aumentará salário de 500 mil trabalhadores após fracasso de montar sindicato

Amazon aumentará salário de 500 mil trabalhadores após fracasso de montar sindicato

Os aumentos entrarão em vigor entre maio e junho

AFP

A Amazon emprega cerca de 1,3 milhão de pessoas ao redor do mundo

publicidade

A Amazon aumentará entre 50 centavos e três dólares o pagamento pela hora de trabalho de mais de meio milhão de empregados de suas equipes de atendimento, entrega e classificação, anunciou a gigante da tecnologia americana. Os aumentos, que entrarão em vigor entre maio e junho, acontecerão antes de uma audiência federal sobre uma campanha de sindicalização frustrada e depois que o presidente Joe Biden criticou a Amazon por evitar os impostos de renda federais.

A gigante do comércio eletrônico com sede em Seattle embarcou em uma onda de contratações durante a pandemia, somando 500 mil empregos no ano passado. Agora, emprega cerca de 1,3 milhão de pessoas ao redor do mundo.

No geral, a empresa revisa os salários todo outono (hemisfério norte, primavera no Brasil) antes das compras de Natal. Mas desta vez adiantou o aumento anual, já que busca contratações adicionais "para dezenas de milhares de postos de trabalho" nas operações nos Estados Unidos, disse Darcie Henry, vice-presidente de operações mundiais, em um comunicado.

O aumento salarial será dividido entre os funcionários das equipes de atendimento ao cliente, entrega, classificação de pacotes e cumprimento de especialidade, enquanto outras equipes terão sua compensação anual revisada durante o ano, acrescenta o comunicado.

Em 2018, a Amazon aumentou seu salário mínimo para 15 dólares por hora para todos os funcionários dos Estados Unidos. Recentemente, se uniu a várias outras grandes corporações para defender que o mínimo federal seja aumentado para a mesma quantia.

A Amazon promoveu seu salário inicial por hora, entre outros benefícios, enquanto se defende de um esforço que resultou malsucedido para a criação do primeiro sindicato da empresa em uma instalação americana.

No início deste mês, os sindicatos e líderes políticos alegaram que os trabalhadores da Amazon enfrentam uma pressão e um monitoramento constantes, com pouca proteção trabalhista, o que destaca a necessidade da negociação coletiva.

Os organizadores da campanha sindical frustrada acusaram a empresa de intimidar os trabalhadores antes da votação por correio e apresentaram um caso à Junta Nacional de Relações Trabalhistas.

Ao defender o tratamento da Amazon aos empregados depois da votação sindical, o fundador e diretor executivo da empresa, Jeff Bezos, prometeu uma "visão" melhor para os funcionários.

Em uma carta, ele estabeleceu um novo objetivo para que a empresa seja "o melhor empregador da Terra e o lugar mais seguro para trabalhar".

A Amazon fez o anúncio do aumento salarial um dia antes da data programada para publicar seus lucros do primeiro trimestre.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895