China limitará acesso das crianças aos jogos eletrônicos
capa

China limitará acesso das crianças aos jogos eletrônicos

Normas obrigarão menores de idade a usar nome real em registros

Por
AFP

Governo pede que produtores tornem jogos menos viciantes

publicidade

A China limitará o tempo de acesso das crianças aos jogos eletrônicos on-line. Os menores de 18 anos não poderão jogar entre 22h00 e 8h00 e serão autorizados a apenas 90 minutos durante o dia, anunciou o governo em um comunicado. A nova regra também limitará a quantia que os menores de idade podem gastar nos jogos: no máximo 200 yuanes ao mês (28 dólares) ou até 400 yuanes para os adolescentes entre 16 e 18 anos.

As novas normas obrigarão todos os menores a usar o nome real no registro de jogos on-line, assim como a apresentar informações pessoais, como a conta de WeChat, uma rede social no país, seu número de telefone ou o documento de identidade.

Em um comunicado publicado na terça-feira, o governo pede ainda aos produtores de jogos que "modifiquem o conteúdo, as funções ou as regras" dos jogos para torná-los menos viciantes. A China é o maior mercado do mundo para os jogos, mas o governo tenta limitar seu uso, sobretudo entre as crianças.

No ano passado, Pequim anunciou novos controles sobre o número de jogos que podem ser praticados on-line, limitou as novidades e impôs regras aos menores de idade para limitar o tempo diante da tela. A Tencent, maior empresa de jogos eletrônicos do mundo, anunciou em março que aplicaria limites ao tempo de jogo dos menores de idade. O grupo já obriga o uso do nome real para que o jogador tenha acesso a "Honour of Kings", um de seus jogos mais populares, para limitar o tempo de conexão.