Emirados acompanham aproximação da sonda "Hope" de Marte

Emirados acompanham aproximação da sonda "Hope" de Marte

Aparelho pretende revelar segredos do clima marciano

AFP

Emirados acompanham aproximação da sonda "Hope" de Marte

publicidade

Todas os olhares de Dubai a Abu Dhabi estão voltados nesta terça-feira (9) para a primeira missão espacial árabe com destino a Marte: a sonda "Hope", dos Emirados Árabes Unidos, deve entrar na órbita do planeta vermelho durante uma delicada manobra.

Em caso de êxito, a sonda - que pretende revelar segredos do clima marciano - será a primeira de três missões espaciais a chegar a Marte em fevereiro. Além dos Emirados Árabes Unidos, país rico do Golfo, China e Estados Unidos também lançaram missões em julho, aproveitando o período em que a Terra e Marte estão mais próximos

A entrada da "Hope" ("Amal" em árabe, "Esperança" em português) na órbita de Marte pretende marcar o aniversário de 50 anos da unificação dos sete emirados em uma federação. Todos os monumentos do país serão iluminados de vermelho durante a noite.

A "Hope" deve iniciar a manobra de 27 minutos às 15h30min GMT (12h30min de Brasília) desta terça-feira. A operação consistirá em reduzir a velocidade e de maneira suficiente para que seja atraída pela gravidade marciana, a parte mais difícil da missão, segundo os especialistas.

A sonda deve girar e acionar os seis poderosos propulsores para reduzir a velocidade de 121 mil km/h a 18 mil km/h. O sinal vai demorar 11 minutos para chegar à sala de controle da Terra. "Vinte e sete minutos sem informações determinarão o destino de sete anos de trabalho", tuitou Sarah al Amiri, presidente da Agência Espacial dos Emirados e ministra de Tecnologias Avançadas.

Em caso de sucesso, um espetáculo de fogos está previsto em Dubai ao redor do Burj Khalifa, o maior prédio do mundo.

50% de possibilidade

"Este projeto é muito importante para a nação, para toda a região e a para a comunidade científica e espacial mundial", declarou à AFP Omran Sharaf, diretor de projeto da missão. Ele afirmou que o objetivo é "muito maior" que o simples fato de chegar a Marte. "O governo quer provocar uma grande mudança no espírito da juventude dos Emirados (...) para acelerar a criação de um setor setor científico e tecnológico de ponta", acrescentou.

Embora a sonda tenha sido concebida para dar uma imagem completa da dinâmica meteorológica do planeta vermelho, também representa um passo rumo a um objetivo muito mais ambicioso: a criação de uma colônia humana em Marte no prazo de 100 anos.

Além de consolidar seu status como país regional chave, os Emirados desejam que o projeto sirva de fonte de inspiração para a juventude árabe, em uma região que aparece com frequência na imprensa pelos conflitos e suas crises políticas, e não pelas conquistas científicas.

"A sonda tem 50% de probabilidades de entrar na órbita de Marte, mas conseguimos 90% de nossos objetivos em termos de construção de novos conhecimentos", tuitou o xeque Mohammed bin Rashed Al Maktum, primeiro-ministro dos Emirados e dirigente de Dubai.

Ao contrário das missões chinesa Tianwen-1 e americana Marte 2020, a "Hope" não vai pousar no planeta vermelha. A sonda utilizará três instrumentos científicos para monitorar a atmosfera marciana e deve começar a transmitir informações em setembro. Os cientistas de todo o mundo terão acesso aos dados obtidos pela "Hope". 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895