Empresas da internet prometem esforço comum para evitar desinformação sobre coronavírus
capa

Empresas da internet prometem esforço comum para evitar desinformação sobre coronavírus

Anúncios destinados a criar pânico ou promover curas não comprovadas foram proibidos

Por
AFP

Anúncios destinados a criar pânico ou promover curas não comprovadas foram proibidos


publicidade

As grandes plataformas americanas da internet prometeram um esforço conjunto para eliminar a desinformação sobre a pandemia de coronavírus e promover um "conteúdo autorizado" sobre a crise. Facebook, Google, Twitter, Microsoft e Reddit emitiram uma declaração conjunta na segunda-feira, na qual também participaram, YouTube, propriedade do Google, e LinkedIn, da Microsoft.

"Estamos trabalhando em estreita cooperação nos esforços de resposta ao Covid-19", informou o comunicado. "Estamos ajudando milhões de pessoas a permanecerem conectadas, ao mesmo tempo que combatemos conjuntamente as fraudes e a desinformação sobre o vírus, elevando o conteúdo autorizado em nossas plataformas e compartilhando atualizações importantes em coordenação com agências governamentais de saúde em todo o mundo", acrescentou. "Convidamos outras empresas a se juntarem a nós enquanto trabalhamos para manter nossas comunidades sãs e protegidas". 


Em uma declaração própria, o Facebook observou que já havia tomado medidas para limitar a desinformação e o conteúdo nocivo sobre a pandemia, incluindo a proibição de anúncios destinados a criar pânico ou promover curas não comprovadas. O movimento ocorre em meio a uma resposta global sem precedentes à pandemia, além do crescimento de alegações de que o próprio vírus é uma farsa. Vários países implementaram medidas eficazes de bloqueio para conter o surto, seguidas por cidades e estados nos Estados Unidos