Empresas podem analisar e-mails para evitar fraudes financeiras

Empresas podem analisar e-mails para evitar fraudes financeiras

Tiago Medina

Lívia Soares citou a quantidade de informações que estão relacionadas aos e-mails

publicidade

Fraudes online estão cada vez mais presentes no cotidiano e tendem a crescer em períodos como o final do ano, quando ocorrem a Black Friday e, mais tarde, o Natal. Uma das maneiras de tentar evitar com que fraudes se concretizem é a análise de dados, que pode começar no e-mail cadastrado para uma compra. 

Diretora de Vendas da Emailage – uma empresa que, com suas ferramentas, conseguiu evitar fraudes milionárias no setor – Lívia Soares explicou o trabalho que é feito para evitar que golpes sejam aplicados no comércio pela internet. A empresa divulgou que ajudou a prevenir a perda de US$ 2,8 bilhões em fraudas apenas no Brasil, ao longo do primeiro semestre do ano passado.

Lívia indicou que empresas necessitam estar atentas a possibilidades de novos golpes, porém devem tentar não prejudicar a navegação do cliente. “Uma empresa precisa garantir que o fluxo de prevenção à fraude esteja bem estruturado para o negócio daquela companhia. Um sistema de prevenção em camadas, que não afeta a experiência e a usabilidade do cliente é um ponto bem positivo pra se eliminar fraudadores logo de cara e entergar uma melhor experiência aos seus clientes bons”.

Fundada por dois brasileiros nos Estados Unidos, a Emailage possui escritórios e faz análises em 150 países a partir das transações. Nesse período, 20 milhões de e-mails de fraudadores foram compartilhados na rede da empresa, evitando danos financeiros. 

De acordo com Lívia, cada e-mail cadastrado carrega uma série de informações, que podem ser úteis na hora de definir ou não um crédito a partir do correio eletrônico. “Há uma análise dentro da ferramenta e devolvemos dizendo se ele pertence à pessoa, se tem redes sociais atreladas, desde quando circula na internet”, citou. “As variáveis têm pesos diferentes, tanto positivas quanto negativas. Quanto mais tempo de vida ele tem, mais informações ele carrega.”


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895