Facebook anuncia "Meta" como novo nome

Facebook anuncia "Meta" como novo nome

Revelação ocorreu durante o evento virtual "Connect"

Correio do Povo e AFP

Novo nome da plataforma foi revelada nesta quinta-feira em evento da marca

publicidade

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou que o novo nome da empresa será "Meta". A revelação ocorreu durante o evento virtual "Connect" nesta quinta-feira. "Aprendemos muito ao enfrentar questões sociais e viver em plataformas fechadas, agora chegou a hora de pegarmos tudo o que aprendemos e ajudar a construir o próximo capítulo", disse Zuckerberg durante a conferência anual de desenvolvedores. "Nossos aplicativos e suas marcas não vão mudar", acrescentou. Isso significa que a rede social Facebook, o Instagram e o WhastApp seguirão com os mesmos nomes. 

“Somos uma empresa que desenvolve tecnologia para conectar”, disse Zuckerberg. “Juntos, podemos finalmente colocar as pessoas no centro de nossa tecnologia. E, juntos, podemos desbloquear uma economia de criadores muito maior”, destacou.

O que é Metaverso, a grande aposta do Facebook

Zuckerberg afirmou que, com o tempo, espera que a empresa de tecnologia seja vista como "metaversa", conceito já usado pelo CEO em outros anúncios. Desde setembro, o Facebook vem anunciando investimentos robustos para o fortalecimento da Realidade Virtual (VR) em sua plataforma. 

Veja Também

A troca do nome da plataforma ocorreu poucos dias após o Facebook ser alvo de artigos contundentes de pelo menos uma dúzia de veículos de comunicação americanos. As críticas são baseadas em documentos internos que a ex-funcionária da rede, Frances Haugen, vazou na última segunda-feira. Os documentos tratam de estudos internos que mostram que a empresa conhecia o dano potencial que seus sites provocam. Isso levou com que legisladores americanos voltassem a fazer pressão por sua regulação.

"As críticas de boa fé nos ajudam a melhorar, mas na minha opinião, o que vemos é um esforço coordenado para usar seletivamente documentos vazados para criar uma imagem falsa da nossa empresa", disse Zuckerberg na segunda-feira.

Críticos do Facebook divulgaram informes na semana passada segundo os quais a troca de nome visava a distrair a atenção dos recentes escândalos e polêmicas que têm a rede social no centro.

Um grupo que se autodenomina "A verdadeira junta de supervisão do Facebook" alertou que grandes corporações, como por exemplo companhias petroleiras e de tabaco, mudam de nome para "desviar a atenção" de seus problemas. "O Facebook acredita que mudar de nome os ajudará a mudar de assunto", alertou o grupo na semana passada, acrescentando que o "verdadeiro problema" é a necessidade de supervisão e regulamentação.

O Facebook anunciou há dez dias planos para contratar 10.000 pessoas na União Europeia para desenvolver o "metaverso", com Zuckerberg se colocando na vanguarda da promoção deste conceito.

O jornal The Washington Post sugeriu no mês passado que o interesse do Facebook no metaverso é "parte de um impulso maior para reabilitar a reputação da companhia com os legisladores e reposicionar o Facebook para dar forma à regulação das tecnologias da Internet".

Minutos após o anúncio, a novidade provocou reações de usuários e empresas. O CEO do Twitter, Jack Dorsey, usou a própria rede para comentar. "meta: referindo-se a si mesmo ou às convenções de seu gênero; autorreferencial", escreveu. 

A Google se renomeou de Alphabet em uma reconfiguração corporativa em 2015, mas seu motor de buscas e a publicidade online continuam sendo sua unidade-chave, apesar de ter se lançado em outras operações, como o desenvolvimento de carros autônomos Waymo e a unidade científica.

Ouça:


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895