Facebook bloqueia tentativas de grupos nacionalistas de atacar protestos contra o racismo

Facebook bloqueia tentativas de grupos nacionalistas de atacar protestos contra o racismo

Foram desmanteladas pequenas redes de contas vinculadas aos grupos conhecidos como Proud Boys e American Guard, após os mesmo incitarem ações violentas

AFP

Facebook não detectou evidências de "interesses estrangeiros" envolvidos nestas atividades

publicidade

O Facebook anunciou nesta sexta-feira que bloqueou as tentativas de grupos nacionalistas brancos de organizar e armar seus integrantes para se infiltrarem nos protestos contra o racismo. Segundo o diretor de políticas contra organizações perigosas da empresa, Brian Fishman, foram desmanteladas pequenas redes de contas vinculadas aos grupos conhecidos como Proud Boys e American Guard.

"Observamos que estes grupos estavam planejando reunir seguidores e membros para comparecerem aos protestos e, em alguns casos, estavam se preparando para comparecer com armas", indicou Fishman em entrevista coletiva. Ele assinalou que os dois grupos já haviam sido proibidos no Facebook, mas que tentavam retornar à rede e ao Instagram, que pertence ao Facebook.

A equipe de Fishman trabalha para identificar todas as contas relacionadas à atividade e acelerou seu esforço quando as mensagens incentivavam confrontos com os manifestantes. Cerca de 80 contas do Facebook e cerca de 50 do Instagram vinculadas ao American Guard foram banidas, bem como 30 relacionadas ao Proud Boys em cada uma das redes. "Trabalhamos para detectar tentativas das organizações proibidas de voltar às plataformas", advertiu Fishman.

O Facebook não detectou evidências de "interesses estrangeiros" envolvidos nestas atividades, destacou Nathaniel Gleicher, chefe da política de segurança cibernética da empresa.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895