Facebook elimina contas vinculadas à Arábia Saudita

Facebook elimina contas vinculadas à Arábia Saudita

Contas envolviam "comportamento falso coordenado" no Facebook e no Instagram

AFP

Empresa diz ter eliminado mais de 400 contas, 146 páginas e 10 grupos

publicidade

O Facebook informou nesta quinta-feira ter desbaratado duas campanhas de influência online no mundo de fala árabe, inclusive uma vinculada ao governo saudita. As campanhas pareciam ser esforços em separado, mas ambas envolviam um "comportamento falso coordenado" no Facebook e no Instagram, segundo o chefe de segurança cibernética da rede social, Nathaniel Gleicher.

Gleicher disse que foram eliminadas do Facebook 217 contas, 144 páginas e cinco grupos. No Instagram foram bloqueadas 31 contas, devido à sua participação em comportamento enganoso e coordenado, originado na Arábia Saudita, centrado principalmente neste país e no norte da África.

Os administradores das páginas e das contas costumavam publicar em árabe sobre notícias regionais e temas políticos, inclusive assuntos sobre o príncipe-herdeiro Mohamed bin Salman e o conflito no Iêmen, segundo o Facebook. "Também compartilharam com frequência críticas de países como Irã, Catar e Turquia, e questionaram a credibilidade da rede de notícias Al-Jazeera e da Anistia Internacional", disse Gleicher.

Embora as pessoas por trás da atividade tenham tentado ocultar suas identidades, "nossa revisão encontrou vínculos com pessoas associadas ao governo da Arábia Saudita", acrescentou.

Aqueles envolvidos na campanha se fizeram passar por moradores usando identidades de contas falsas ou de meios locais. A campanha gastou cerca de 108.000 dólares em publicidade, pagos em moeda americana e saudita, segundo o Facebook.

Uma segunda campanha de influência pareceu estar coordenada do Egito e dos Emirados Árabes Unidos, e se centrou em países do Oriente Médio e do norte e do leste da África. A rede social disse ter eliminado 259 contas, 102 páginas, cinco grupos do Facebook e 17 contas do Instagram, vinculadas a esta campanha.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895