Governo do Rio Grande do Sul confirma invasão a sites ligados ao Estado

Governo do Rio Grande do Sul confirma invasão a sites ligados ao Estado

Não houve vazamento de dados no ataque, segundo Secretaria de Planejamento e Gestão

Correio do Povo

Endereços eletrônicos ligados ao Estado foram invadidos nesta terça

publicidade

O governo do RS, por meio da Secretaria de Planejamento e Gestão, confirmou nesta terça-feira que sites ligados ao Estado foram invadidos durante a madrugada. De acordo com a pasta, não houve vazamento de dados após o ataque, e o Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs) já bloqueou a iniciativa e trabalha para que tudo volte ao normal o mais breve possível. 

As páginas do Piratini, Secretaria Estadual de Saúde (SES), da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), do Detran e da Procergs são algumas que não podem ser acessadas no momento. 

Secretarias

A assessoria da SES informou que o único trabalho que está sendo afetado no momento é a indexação de dados no Painel Coronavírus RS, onde a população pode verificar a situação da pandemia em solo gaúcho.

Veja Também

Já os serviços diários, como distribuição de vacinas e acesso às demais informações da Secretaria, não sofrem prejuízo, em razão de uma portaria do governo federal que impõe que o sistema para essas ações seja do Ministério da Saúde. Em relação ao boletim diário de casos e mortes por Covid-19 no Rio Grande do Sul, caso o problema não seja resolvido logo, a SES afirmou que é possível disponibilizar as informações pelas redes sociais.

A exemplo da Saúde, a Segurança Pública realizou um levantamento para apurar a extensão dos problemas. Conforme a SSP, os serviços de atividade-fim, como registro de ocorrências e de inteligência, seguiam operando normalmente. O atendimento presencial no Instituto Geral de Perícia e no Detran também não foi afetado, segundo a pasta. Apesar da invasão, o portal da delegacia online da Polícia Civil, que permite registro de ocorrências, segue operando normalmente.

Proprietário de uma revenda na Assis Brasil, na zona Norte, Gérson Hubermann se surpreendeu ao não conseguir acessar o site do Detran logo pela manhã. Às 8h, quando chegou à loja, se deparou com a mensagem no site da autarquia informando que a página estava indisponível. "Quando recebo um carro em troca, por exemplo, preciso fazer levantamento dos débitos do carro, se o IPVA está pago, se tem alienação fiduciária. E para isso o site do Detran tem que estar no ar", critica.

Hubermann afirma que utiliza a página diariamente para apurar a situação dos veículos que chegam na revenda. "Entrei na loja e não consegui trabalhar. Se chegar alguém aqui com o carro não consigo verificar se tem multa ou se é financiado", completa.

*Com informações dos repórteres Lucas Eliel e Felipe Samuel


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895