capa

Huawei nega estar submetida às leis de espionagem de Pequim

Chefe de segurança alegou que companhia não tem obrigação de espionar para Pequim caso o governo da China solicite

Por
AFP

Empresa negou estar vinculada a lei de espionagem de Pequim

publicidade

O chefe de segurança cibernética da Huawei disse nesta segunda-feira no Parlamento britânico que a empresa chinesa de telecomunicações foi informada de que não tem nenhuma obrigação de espionar para Pequim caso o governo da China venha solicitar isso.

John Suffolk disse numa audiência num comitê parlamentar que a Huawei consultou seus advogados para ver se uma lei chinesa sobre cooperação das empresas nacionais com o governo em relação à segurança poderia impor alguma obrigação sobre ações de inteligência no exterior.

A legislação foi citada pelo governo dos Estados Unidos na tentativa de obrigar os governos de todo o mundo de afastar a Huawei de seus planos de desenvolvimento da rede 5G. O depoimento de Suffolk no comitê de ciência e tecnologia do Parlamento do Reino Unido foi prestado num momento em que a Grã-Bretanha se prepara para publicar as diretrizes políticas para a utilização da tecnologia de próxima geração. "Não há leis na China que nos obriguem a trabalhar com o governo chinês", disse Suffolk. "Nossa análise legal é que esse não é o caso."