Huawei perde recurso e agências dos EUA continuam proibidas de comprar da empresa
capa

Huawei perde recurso e agências dos EUA continuam proibidas de comprar da empresa

Governo Trump acusa gigante da tecnologia de roubar segredos comerciais de companhias americanas

Por
AFP

Huawei alega inconstitucionalidade em proibição movida por Trump


publicidade

Um juiz americano rejeitou, na terça-feira, um recurso do gigante chinês das telecomunicações Huawei contra uma proibição para que as agências federais dos Estados Unidos comprem seus produtos e serviços. No ano passado, a Huawei havia apresentado um recurso de inconstitucionalidade contra a decisão do governo Donald Trump, de maio de 2019, de proibir as agências federais de adquirirem seus equipamentos e serviços, assim como de trabalharem com terceiros que fossem seus clientes.

A disputa era uma das várias já tomadas no âmbito da guerra comercial entre Pequim e Washington, que acusa a Huawei de roubar segredos comerciais de companhias americanas. Washington também adverte seus aliados de que os equipamentos da companhia chinesa poderão ser usados para espionar outros países.

A Huawei nega e acusa os Estados Unidos de lhe imporem restrições "anticonstitucionais" para ingressar no mercado americano. Em sua sentença, o juiz de distrito Amos Mazzant considerou que uma relação contratual com o governo federal americano não implicava um direito constitucional garantido.

Acrescentou ainda que a proibição estava justificada no âmbito de uma investigação do Congresso "sobre uma potencial ameaça contra a cibersegurança" dos Estados Unidos. Em um comunicado, a Huawei manifestou sua decepção, afirmando que "continuará considerando suas opções legais" contra a sentença.