Impasse nas negociações sobre os impostos das gigantes de internet

Impasse nas negociações sobre os impostos das gigantes de internet

EUA anunciaram, nesta quarta-feira, a suspensão de sua participação nas negociações do marco da OCDE

Por
AFP

"Pausa" anunciada pelos EUA poderá, segundo OCDE, resultar em uma guerra comercial


publicidade

As negociações internacionais sobre a adoção de impostos às gigantes de internet, um desacordo recorrente entre Washington e a União Europeia, encontram-se em um impasse, depois da "pausa" anunciada pelos Estados Unidos, que poderá, segundo a OCDE, resultar em uma guerra comercial.

O secretário do Tesouro norte-americano, Steve Mnuchin, anunciou nesta quarta-feira à França, Itália, Espanha e Reino Unido a suspensão de sua participação nas negociações do marco da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Em janeiro, 137 países concordaram que para o final de 2020 haveria um acordo, sob a regulação da OCDE, sobre a adoção de um imposto digital para empresas como Google, Amazon ou Facebook, considerando sua atividade real em cada país.

O departamento do Tesouro norte-americano explicou que "sugeriu fazer uma pausa (...) em um momento em que os governos do mundo inteiro se concentram na reposta para a Covid-19 e sobre a reabertura com segurança de suas economias".

Mas este argumento não convenceu o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, que denunciou nesta quinta-feira uma "provocação" por parte dos norte-americanos. "Estávamos a uns centímetros do acordo sobre a imposição aos gigantes digitais, que são os únicos no mundo que tem se beneficiado imensamente do coronavírus", declarou Le Maire.

O secretário-geral da OCDE, o mexicano Angel Gurría, advertiu que a ausência de uma "solução multilateral" nos tributos para os gigantes da internet poderá desencadear uma guerra comercial, "Sem um acordo multilateral, outros países tomarão medidas unilaterais", afirmou.

"Uma solução mundial"

Em uma sessão do Congresso nesta quarta-feira, o representante para o Comércio, não excluiu um acordo multilateral. "Penso que há claramente um espaço para uma solução negociada", disse. "Necessitamos de um regime internacional que se concentre somente em algumas indústrias mas também na maneira como tributaremos as pessoas em escala internacional", salientou.

O comissário europeu de Economia, Paolo Gentiloni, disse nesta quinta-feira que espera que a "pausa" dos Estados Unidos na negociação internacional do imposto para os gigantes da internet não seja "definitiva". "Lamento muito a decisão dos Estados Unidos de frear as conversas internacionais sobre a fiscalização da economia digital", apontou Gentiloni, desejando que seja "um contratempo temporário e não uma pausa definitiva".


"A Comissão Europeia quer uma solução mundial para levar o imposto de sociedade para o Século XXI", reiterou Gentiloni.