Rússia testa "Internet soberana" nesta segunda-feira

Rússia testa "Internet soberana" nesta segunda-feira

Objetivo é que rede possa se isolar de servidores externos e continuar funcionando

AFP

Rússia testa hoje diferente tipo de Internet

publicidade

A Rússia fará um balanço nesta segunda-feira do teste de alguns equipamentos que, em princípio, vão-lhe permitir isolar a Internet no país dos servidores mundiais e garantir seu funcionamento, mesmo em caso de uma ciberguerra mundial. Os testes acontecem no marco de uma polêmica lei que entrou em vigor no início de novembro. Os críticos temem que a legislação possa ser usada para censura, mas o governo nega.

Segundo o Ministério russo das Comunicações, citado pela agência pública RIA Novosti, a medida da Rússia tem por objetivo testar, em zonas especializadas, mecanismos de reação a "ameaças" no funcionamento estável e seguro de Internet. Os internautas "sequer se darão conta de que estes testes estão sendo realizados", afirmou o porta-voz do Ministério, Evgueni Novikov, citado pela agência.

Segundo a televisão pública russa Rossiya 24, já foram feitos testes em vários níveis nas últimas duas semanas. "O objetivo é assegurar a estabilidade e o funcionamento da Internet no território russo sob qualquer circunstância", declarou o vice-ministro das Comunicações, Alexei Sokolov, ao canal.

Segundo o Kremlin, esta lei está pensada para proteger o "segmento russo" de Internet, caso haja uma desconexão dos grandes servidores mundiais, situados na Europa e nos Estados Unidos. O objetivo é permitir que os serviços do Estado e a rede bancária russa funcionem, mesmo em caso de uma guerra, ou de ciberataques em massa. Com o procedimento, o tráfego na Rússia vai ser organizado para reduzir a quantidade de dados transmitidos do exterior. Para isso, os provedores de acesso deverão instalar uma infraestrutura especial, proporcionada pelas autoridades, nas redes sociais para 2021. Neste ano, acontecem as próximas eleições legislativas. 

Não foram divulgados detalhes sobre esta infraestrutura especial, mas esta tecnologia permitirá à Polícia russa de Internet - a Roskomnadzor - realize, se necessário, uma "inspeção profunda de pacotes" (DPI), ou seja, uma análise de todo tráfego que transitar pelos servidores russos e redirecionar o fluxo para sites, ou serviços específicos. A Roskomnadzor também poderá bloquear qualquer página, ou conteúdo, diretamente, uma tarefa que hoje recai para as operadoras.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895