Tim vence mais um lote que levará 5G para a região Sul

Tim vence mais um lote que levará 5G para a região Sul

Empresa também ganhou lote de abrangência nacional, com proposta de R$ 27 milhões

Correio do Povo e R7

Tim vence diferentes lotes no segundo dia de leilão do 5G

publicidade

A Tim venceu mais um lote da região Sul que levará internet 5G - incluindo Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná-, na frequência de 26GHz, no segundo dia do leilão  promovido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Com proposta de R$ 4 milhões, com ágio de 6,12% em relação ao valor inicial, a empresa poderá explorar o lote J20 com outorga de dez anos. Mais cedo no certame, a companhia propôs um valor de R$ 8 milhões e já havia vencido o bloco H19, que a tornará responsável por levar a nova tecnologia a escolas de ensino básico do Sul do país.

Com proposta de R$ 27 de milhões - ágio de 2,2% em relação ao valor inicial -, a Tim ainda angariou o bloco I6, de abrangência nacional. Os lotes de I1 a I5 não foram abertos. Os blocos I7 a I10 foram considerados desertos por não receberem propostas, o mesmo ocorreu em relação aos lotes J1 a J18 (lotes referentes às regiões Norte, Nordeste e maior parte do Centro-Oeste). O bloco J19, com previsão de prestação de serviço na região Sul, não foi aberto em função da venda do lote H19.

A Neko Serviços de Comunicações, Entretenimento e Educação venceu a concorrência pelo lote J32, com uma proposta de R$ 8.492.917,16. O bloco compreende a região do estado de São Paulo, exceto o setor 33 do PGO. 

A Tim venceu a disputa pelo J33, abrangendo também o estado de São Paulo, exceto o setor 33 do PGO, com uma proposta de R$ 6 milhões. Os lotes J34, J35 e J36 foram considerados vazios, e os lotes J37 a J42 não foram a leilão porque os lotes H37 a H42 foram vendidos.

A sessão com a licitação foi dada por encerrada por volta de 11h20min. A Anatel anunciou que retomará as atividades às 13h desta sexta para prestar esclarecimentos sobre o leilão.

Veja Também

Tecnologia 5G

A tecnologia 5G permite o tráfego de dados até 100 vezes mais rápido que o padrão de quarta geração (4G), utilizando um espectro de rádio mais abrangente, o que permite que mais aparelhos móveis se conectem simultaneamente, com mais estabilidade do que nas redes atuais.

A expectativa do governo era de que o edital gerasse R$ 49,7 bilhões em contratos, sendo R$ 39,1 bilhões referentes aos investimentos das empresas no cumprimento das obrigações previstas. A estimativa era fechar o leilão com R$ 10,6 bilhões de outorga, ou seja, de pagamento ao governo pelo direito de atuar no segmento, e com uma soma de investimentos de R$ 169 bilhões nos próximos 20 anos.

No primeiro dia, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse acreditar que o valor de arrecadação do leilão do 5G deve ultrapassar os R$ 50 bilhões inicialmente previstos. Durante live semanal do presidente Jair Bolsonaro, Faria classificou o leilão como o maior do setor em toda a América Latina.

Ouça:


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895