WhatsApp adia mais uma vez aplicação estrita de suas novas regras de privacidade

WhatsApp adia mais uma vez aplicação estrita de suas novas regras de privacidade

Coleta de dados pode atingir 2 bilhões de usuários em todo o mundo

AFP

WhatsApp anunciou um novo adiamento da aplicação de suas novas regras

publicidade

O WhatsApp, que pertence ao Facebook, anunciou nesta sexta-feira um novo adiamento da aplicação estrita de suas novas regras de privacidade que, segundo críticos, pode ampliar a coleta de dados de seus 2 bilhões de usuários em todo o mundo.

A empresa californiana já havia adiado por três meses, até 15 de maio, a implantação das novas condições de uso do aplicativo devido ao clamor de muitos usuários, preocupados com a ideia de o sistema de mensagens compartilhar mais dados com o Facebook.

O WhatsApp disse em seu site nesta sexta que não cortaria diretamente o acesso de usuários que rejeitassem os novos termos, mas que continuaria a enviar lembretes. Essas pessoas também correrão o risco de perder alguns recursos com o tempo se não concordarem com as novas normas.

Elas podem continuar a receber chamadas de áudio e vídeo por um tempo, mas sem conseguir acessar sua lista de mensagens. Após várias semanas, não poderão mais receber mensagens ou chamadas.

De acordo com a plataforma, a atualização muda a forma como os anunciantes que usam o WhatsApp para se comunicar com seus clientes podem compartilhar dados com o Facebook. Porém, para seus críticos, tal mudança abre a porta para uma troca de dados mais ampla com o gigante das redes sociais.

Esse contratempo em relação às políticas de privacidade do WhatsApp foi descrito pelo Facebook como um mal-entendido sobre os esforços para atrair empresas para a plataforma. O ocorrido ilustra as preocupações atuais em torno das políticas de privacidade e proteção de dados da companhia. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895