Winity II fatura primeiro lote de leilão do 5G e é a mais nova operadora de telefonia móvel no País

Winity II fatura primeiro lote de leilão do 5G e é a mais nova operadora de telefonia móvel no País

Empresa venceu etapa destinada à faixa de 700 MHz (megahertz)

R7 e AE

Winity II fatura primeiro lote de leilão do 5G e é a mais nova operadora de telefonia móvel no País

publicidade

A Winity II Telecom Ltda será a nova empresa a oferecer o serviço de telefonia no Brasil. Com oferta de R$ 1.427.872.491,87, a companhia apresentou a melhor proposta para fornecer o serviço de 5G na faixa de 700 Mhz. O valor representa um ágio de 805% em relação ao lance mínimo. A empresa do grupo Patria terá de oferecer uma estrutura igual ou superior ao 4G em 1.185 trechos de rodovias, totalizando 31 mil km de estradas, e sistema 5G em 625 localidades. Participaram da disputa as empresas NK 108 Empreendimentos e Participações S.A e VDF Tecnologia da Informação LTDA, que ofereceram respectivamente R$ 333,3 milhões e R$ 318 milhões. O lance mínimo era de R$ 157,6 milhões.

Uma vez que a empresa fez a oferta por um lote com abrangência nacional, os demais blocos da faixa 700 MHz, que eram subdivisões do primeiro, não estarão mais na disputa.

A licitação é realizada pela Comissão Especial de Licitação (CEL) da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Ao todo 15 empresas e consórcios pleiteavam explorar comercialmente as radiofrequências 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

Veja Também

A licitação tinha valor total previsto de R$ 49,7 bilhões. Desse montante, R$ 10,6 bilhões se referem à outorga (pagamento ao governo pelo direito de atuar no segmento). Segundo o Ministério das Comunicações, o 5G deve estar em funcionamento em todas as capitais do país até julho de 2022.

As empresas vencedoras do processo terão de atender às áreas sem o serviço ou com pouco atendimento em todas as localidades com mais de 600 habitantes e com tecnologia 4G ou superior. A estimativa é de que as empresas vencedoras invistam R$ 169 bilhões nos próximos 20 anos na ampliação da infraestrutura de telecomunicações no Brasil.

Segundo a Anatel, o lote tem área de prestação nacional, com algumas exceções: cidades do Estado de Minas Gerais, o município de Paranaíba, no Estado de Mato Grosso do Sul, os Municípios de Buriti Alegre, Cachoeira Dourada, Inaciolândia, Itumbiara, Paranaiguara e São Simão, no Estado de Goiás, e as cidades de Altinópolis, Aramina, Batatais, Brodosqui, Buritizal, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Colômbia, Franca, Guaíra, Guará, Ipuã, Ituverava, Jardinópolis, Miguelópolis, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Ribeirão Corrente, Sales de Oliveira, Santa Cruz da Esperança, Santo Antônio da Alegria e São Joaquim da Barra, no Estado de São Paulo.

'Faixa de ouro' do 5G

Claro, Vivo (Telefônica Brasil) e Tim arremataram os lotes nacionais da faixa de 3,5 GHz, a chamada “faixa de ouro do 5G” no leilão realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), nesta quinta-feira (4), em Brasília.

A Claro ganhou o primeiro lote (B1), com proposta de R$ 338 milhões (ágio de 5,18% em relação ao preço mínimo). A Vivo levou o lote B2, segundo lote nacional, em 80 MHz, na faixa de 3,5 GHz. O lance da empresa foi de R$ 420 milhões, ágio de 30,69% sobre valor mínimo. O terceiro lote da "faixa de ouro" foi vencido pela TIM. A empresa ofereceu proposta de R$ 351 milhões: ágio de 9,22%.

Internet mais rápida

As empresas vencedoras do processo terão de atender às áreas sem o serviço ou com pouco atendimento em todas as localidades com mais de 600 habitantes e com tecnologia 4G ou superior. A estimativa é de que as empresas vencedoras invistam R$ 169 bilhões nos próximos 20 anos na ampliação da infraestrutura de telecomunicações no Brasil.

O 5G vai proporcionar uma conexão de internet móvel até 100 vezes mais rápida e mais econômica. De acordo com a Anatel, estão previstos “compromissos de atendimento já com tecnologia 5G” para os municípios com população superior a 30 mil pessoas.

A previsão é que 60% desses municípios estejam atendidos até dezembro de 2027, meta que sobe para 90% até dezembro de 2028 e para 100% até dezembro de 2029. Também está prevista a construção da Rede Privativa de Comunicação da Administração Pública Federal, medida considerada estratégica para a segurança nacional.

As operadoras que arrematarem capacidade na faixa de 3,5 GHz, a chamada “faixa de ouro do 5G”, também serão responsáveis pela migração da TV aberta via satélite (parabólica), que atualmente ocupa a mesma frequência. Pelo edital, as famílias que fazem parte do Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal terão direito à troca gratuita do equipamento de TV parabólica por outro que não será afetado com interferências no sinal.

Para terem acesso à rede 5G, os consumidores precisarão comprar celulares compatíveis com a nova rede. Atualmente, os lançamentos no Brasil das grandes marcas de smartphones já disponibilizam a tecnologia 5G.

Ouça:


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895