Ainda com alta na ocupação de UTIs, RS mantém bandeira preta

Ainda com alta na ocupação de UTIs, RS mantém bandeira preta

Reunião com a Famurs, que adentrou a noite desta sexta-feira, deve decidir sobre retorno da cogestão

Correio do Povo

publicidade

Diante de alta taxa de ocupação hospitalar e da transmissibilidade do vírus, o Piratini manteve todas as regiões gaúchas em bandeira preta, pela quarta semana consecutiva, na 46ª rodada do Plano de Distanciamento Controlado. O mapa definitivo, divulgado nesta sexta-feira, não terá a possibilidade de envio de pedidos de reconsideração. Apesar da grande expectativa por parte dos prefeitos e entidades do setor econômico, a decisão sobre o retorno do sistema de cogestão deverá ser divulgado nas próximas horas, após reunião do governador Eduardo Leite com a Famurs. 

Entre os 11 indicadores monitorados, houve aumento de 10% no número de internados em UTIs e elevação de 31% no volume de óbitos reportados. Nesta rodada, mesmo considerando o aumento de 4% no número total de leitos de UTI existentes e a redução dos internados por outras causas, a elevação de pacientes confirmados com Covid-19 em UTI fez com que se mantivesse a alta pressão sobre o sistema hospitalar. Estão sendo ocupados espaços inclusive fora dos leitos regulares, o que indica operação acima da capacidade de algumas regiões. 

Veja Também

Nesta sexta-feira, o Rio Grande do Sul registrou 390 novos óbitos em decorrência do coronavírus, fazendo com que o total de mortes por Covid-19 seja de 16.507. Este é o segundo maior volume reportado por dia de vítimas fatais, ficando atrás apenas para o recorde diário de 502 mortes registradas da última terça. O número de mortes ocorridas apenas no mês de março já corresponde à metade dos óbitos registrados em 2021. Até o momento, são 780.186 – sendo 93% de pessoas recuperadas do vírus.

Região de Santa Rosa ficaria em bandeira vermelha

A pressão sobre o sistema hospitalar levou novamente ao acionamento de salvaguarda em uma região. Santa Rosa ficou com média 2,49, o que a colocaria em bandeira vermelha. Considera-se bandeira preta média a partir de 2,50. Contudo, tanto a trava regional para bandeiras vermelhas e pretas, como a estadual para bandeira preta, foram acionadas para evitar colapso da regulação de leitos na região e no Estado.

Bagé, que na semana passada receberia bandeira vermelha, assim como Pelotas, se não tivesse a trava de segurança estadual, nesta 46ª semana foi para o topo do ranking entre as regiões, ficando com a média mais alta, de 2,85.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895