Campo Bom prepara serviço de telemedicina para reduzir circulação em UBS

Campo Bom prepara serviço de telemedicina para reduzir circulação em UBS

A ideia é que a Telemedicina permaneça em funcionamento enquanto durar a pandemia pelo novo coronavírus

Stephany Sander

Para ter acesso a teleconsulta, assim que ligar, o paciente precisa se identificar, informando nome completo, CPF, data de nascimento, número do Cartão Nacional de Saúde e descrever seus sintomas

publicidade

A cidade de Campo Bom se prepara para iniciar um serviço de telemedicina. A iniciativa visa contribuir para uma circulação menor de moradores que buscam atendimento médico nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), e ainda impedir a maior ocupação dos leitos do Hospital Lauro Reus, que já estão 60% preenchidos.

Assim que entrar em operação o serviço, os pacientes poderão ligar para um telefone 0800 e entrar em contato com enfermeiros, psicólogos e médicos, gratuitamente, 24 horas por dia, em todos os dias da semana, segundo o prefeito Luciano Orsi. "Trata-se de um passo novo em termos de tecnologia. Poderemos atender melhor, principalmente àquelas pessoas que estão deixando de comparecer ao Posto de Saúde por medo de contaminação de Covid-19", complementa ele.

O telefone da central de atendimento será gerado nos próximos dias e o serviço começa a funcionar a partir de 1º de julho. Para ter acesso a teleconsulta, assim que ligar, o paciente precisa se identificar, informando nome completo, CPF, data de nascimento, número do Cartão Nacional de Saúde e descrever seus sintomas.

Caso o morador queira apenas tirar dúvidas e receber orientações, isso poderá ser feito diretamente por telefone, na mesma ligação. Se for observada a necessidade de um atendimento mais aprofundado, o usuário será encaminhado para uma videoconsulta com um médico clínico-geral vinculado ao Hospital Lauro Reus, de acordo com sua possibilidade de conexão de internet.

Se ele não possuir acesso à internet, será orientado a procurar atendimento presencial; no entanto, se o paciente apresentar maior risco, será encaminhado diretamente para o Pronto Atendimento ou para o Hospital Lauro Reus, dependendo de cada situação.

A ideia é que a Telemedicina Campo Bom permaneça em funcionamento enquanto durar a pandemia pelo novo coronavírus, com o prazo máximo de seis meses e o recurso para contratação do serviço é proveniente do Ministério da Saúde, ao custo de R$ 54 mil mensais.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895