Candelária faz repovoamento do rio Pardo com 5 mil alevinos

Candelária faz repovoamento do rio Pardo com 5 mil alevinos

Ação ocorreu após a execução de um barramento na área próxima ao ponto de captação da Corsan

Por
Otto Tesche

Cerca de 5 mil alevinos de dourados, jundiás, carpas, pintados e outras espéces de peixes, foram colocados na água do rio Pardo+


publicidade

O Departamento de Meio Ambiente de Candelária colocou, na manhã desta quinta-feira, cerca de 5 mil alevinos de dourados, jundiás, carpas, pintados  e outras espéces de peixes, na água do rio Pardo, para auxiliar no repovoamento do manancial. A ação ocorreu depois da execução de um barramento na área próxima ao ponto de captação da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), no dia 4 de abril, com o objetivo de garantir a segurança hídrica da população diante da queda do nível no local nas últimas semanas.

Os alevinos vieram ensacados em plásticos com oxigênio de uma empresa de piscicultura do município de Mato Leitão. A compra custou R$ 3,5 mil, sendo R$ 2 mil pagos pelo Fundo Municipal de Meio Ambiente, e R$ 1,5 mil arrecadados pelo comércio e populares. A construção do barramentono, no início do mês, ocorreu após solicitação da Prefeitura e da Corsan à Divisão de Recursos Hídricos do Estado, para a elevação do nível do rio em 0,50 centímetros, com a concessão da medida em caráter emergencial.


A soltura na área próxima ao ponto de captação da Corsan, nas proximidades do Balneário Carlos Larger, mais conhecido como Prainha, permitirá que os peixes se desenvolvam e se espalhem ao longo do rio quando vierem as chuvas e o nível ultrapassar a altura da barragem. O diretor de Meio Ambiente do município, Albino Oto Gewehr, ressalta que no local é proibido o banho, pois existem diferentes profundidades, o que torna o leito do rio irregular e perigoso, como também é vedada a pesca no local.