Canoas amplia número de leitos de UTI para Covid-19

Canoas amplia número de leitos de UTI para Covid-19

Outras cidades no RS também intensificam ações contra a pandemia

Correio do Povo

Hospitais canoenses contam agora com um total de 50 vagas exclusivas

publicidade

Municípios gaúchos seguem com a atualização de medidas de enfrentamento ao novo coronavírus diante do quadro de agravamento. Em Canoas, a prefeitura informou que aumentou o número de leitos exclusivos para Covid-19. A cidade passa a ter ao todo 50 leitos de UTI, sendo 34 no Hospital Municipal (antigo HU), dez no hospital Nossa Senhora das graças e seis no Pronto Socorro. O município informa que, com o acréscimo, a taxa de internação baixou de 81,5% para 62% e deve ser reavaliada pelo Estado nesta sexta-feira. Canoas tem ainda 56 leitos de UTI para outras doenças.

Conforme o secretário da Saúde, Fernando Ritter, em Canoas o número de óbitos não está acompanhando o crescimento do número de casos. “A maior parte dos novos contaminados é de jovens, o que é claramente visto nos indicadores de mortalidade que se mantêm abaixo do que é considerado grave.”
Seguindo as recomendações do Estado, o município também suspendeu as cirurgias eletivas que não pertencem às áreas sensíveis, como neurologia, traumatologia e cardiologia. Os protocolos dos novos decretos estaduais já estão valendo na cidade. A prefeitura informa ainda que, após reunião do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus com entidades empresariais, teve início uma campanha nos estabelecimentos comerciais voltada à prevenção. A fiscalização também será intensificada.

Em Bagé, a prefeitura emitiu novo documento local acompanhando as determinações dos novos decretos estaduais. Entre as principais medidas, estão a suspensão de festas e eventos de fim de ano, sejam por parte de prefeituras ou privadas, o apoio da Brigada Militar nas fiscalizações, restrição ao comércio até as 22h e manutenção do distanciamento.

A Prefeitura de Pelotas também publicou decreto com restrições alinhadas aos novos protocolos determinados pelo Estado. O documento municipal vale até o próximo dia 15. Após, novo texto deve ser publicado, conforme a evolução da pandemia na cidade. “Entramos em dezembro, um mês importante para as atividades das famílias e para a economia, e estamos em momento difícil. Queremos salvar as festas de fim de ano e a economia. Pedimos um sacrifício um pouco maior agora para que, quem sabe, em 15 dias, tenhamos um final de ano mais tranquilo”, disse a prefeita Paula Mascarenhas.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895