Chuva causa transtornos e estragos em pontos isolados de cidades da Região Metropolitana

Chuva causa transtornos e estragos em pontos isolados de cidades da Região Metropolitana

Deslizamentos de terra ocorreram em Viamão

Fernanda Bassôa

Estragos aconteceram na zona rural de Viamão

publicidade

A chuva e os ventos fortes que atingiram a Região Metropolitana entre terça-feira e esta quarta-feira causaram transtornos e estragos em algumas cidades. Em Alvorada, houve pontos de alagamento nas Ruas Marquês do Pombal, Anita Garibaldi e na rua Americana. Devido ao grande acúmulo de água, pelo menos três famílias deixaram suas casas e procuraram abrigo na casa de familiares. De acordo com a Prefeitura, os arroios seguem dentro do leito e as águas estão baixando. A Defesa Civil segue em alerta e monitora a situação.

Em Viamão, os estragos aconteceram na zona rural da cidade. Na rodovia Acrísio Prates, que faz ligação do centro da cidade com a região de Itapuã, houve deslizamento de terra, que avançou sobre a pista. Desde cedo, equipes da Secretaria de Agricultura e máquinas trabalham na recuperação das estradas. Na região do Capão da Porteira, ainda em Viamão, houve o rompimento de uma taipa de açude e esquipes da Administração trabalham no local para evitar mais transtornos.

Em Sapucaia, a Defesa Civil segue em alerta e monitora de perto o Rio dos Sinos que, no início da tarde desta quarta-feira chegava a marca dos 4.46 metros. De acordo com a Prefeitura, choveu 126mm nas últimas 24 horas.

Cachoeirinha registrou 93,4 mm de chuva nas últimas 24 horas. Mesmo com acumulado significativo, não foram registrados alagamentos em pontos tradicionais da cidade. De acordo com a Prefeitura, durante a madrugada as equipes da Administração precisaram instalar uma bomba extra para dar conta do excesso de água que chegou ao pátio das casas próximas. A situação no local já está normalizada.

Em Guaíba, o volume de chuva das últimas 48 horas foi maior que a média registrada para todo o mês de julho. Bairros como Nova Guaíba, Pedras Brancas e Cohab sentiram os efeitos da enxurrada e a água chegou a invadir algumas moradias no bairro São Jorge. Para amenizar o impacto, a Defesa civil, a Secretaria de Obras e o Corpo de Bombeiros estão desde a madrugada auxiliando os moradores. Os bombeiros auxiliaram no corte de galhos e árvores que atingiram algumas casas. A Secretaria de Obras trabalha para desobstruir tubulação e valos. Não há registros de desabrigados ou desalojados.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895