Ciclone derruba árvores e postes na Região Metropolitana e Vale do Sinos

Ciclone derruba árvores e postes na Região Metropolitana e Vale do Sinos

Após a passagem do Yakecan, Defesa Civil realiza vistoria pelos municípios

Fernanda Bassôa

A prefeitura de Canoas atendeu ao menos quatro chamados referentes a árvores caídas em vias

publicidade

Depois da passagem do ciclone Yakecan por Canoas, a Secretaria de Segurança Pública e a Defesa Civil realizam vistorias pela cidade em pontos com registros de quedas de árvores e postes. Na manhã desta quarta-feira, a prefeitura atendeu pelo menos quatro chamados nos bairros Niterói, Marechal Rondon e Harmonia referentes a árvores caídas em vias. Além disso, foi recebido chamado de um poste caído na praça Lotário Steffens, no bairro Rio Branco e outro na avenida das Canoas, no bairro Mato Grande.

Conforme o secretário-adjunto da Defesa Civil, Igor Sousa, não houve registro de destelhamentos ou famílias desabrigadas. “Seguimos fazendo vistorias e trabalhando para atender possíveis chamados. Mas, já desativamos o gabinete de crise”, informa Sousa.

Na noite desta terça-feira, foram entregues lonas para 19 famílias, totalizando 570 metros, nos bairros Mathias Velho, Rio Branco, Igara, Guajuviras, Niterói e Mato Grande e três acionamentos por postes caídos nos bairros Nossa Senhora das Graças, Fátima e Mato Grande. Em caso de emergência, a população pode acionar a Guarda Municipal pelo 153 ou a Defesa Civil pelo WhatsApp 99322-5764 (plantão 24 horas). Em Alvorada foram registradas seis quedas de árvores entre os bairros Umbu e Santa Bárbara.

Já a Defesa Civil de Novo Hamburgo passou a noite de prontidão em razão da passagem do ciclone Yakecan pelo Estado. Foram registrados poucos chamados, mas três deles com estragos significativos. Dois aconteceram no bairro Canudos e um no bairro Diehl. Em Canudos, houve queda de um muro com destelhamento de uma casa na rua Kurt Walt, onde foi fornecida lona para a família. O outro foi de uma árvore caída em via pública na rua Israel Silvestre de Vargas. No bairro Dihel, houve queda de árvore na rua Professora Felipina Voguel. Em ambos registros a equipe da Defesa Civil fez o corte. A remoção dos galhos foi feita na manhã desta quarta-feira pelas equipes da Secretaria Municipal de Obras. O Corpo de Bombeiros não registrou chamados.

Em São Leopoldo, equipes da Defesa Civil e da Guarda Civil não receberam relatos de danos graves provocados pelo vento ou pela chuva da madrugada de quarta-feira. Foi registrada a queda de uma árvore na rua Juvenal Lopes, no bairro Feitoria. As equipes da Defesa Civil seguem em alerta e mantendo vistorias em pontos considerados críticos. A tendência é que os ventos e a chuva diminuam gradualmente a partir desta quarta-feira. As pancadas mais fortes duraram um período curto de tempo sem provocar alagamentos. O Centro de Referência para a População Adulta de Rua (CREPAR) e Centro POP atenderam 40 pessoas em situação de rua com os serviços de pernoite e alimentação. As aulas da Rede Municipal de Ensino seguem suspensas durante toda a quarta-feira.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895