Com ocupação hospitalar ainda em alta, RS terá 5º semana seguida em bandeira preta

Com ocupação hospitalar ainda em alta, RS terá 5º semana seguida em bandeira preta

Com cogestão permitida, regiões poderão seguir protocolos mais flexíveis

Correio do Povo

Óbitos tiveram aumento de 4% nesta semana no Estado,

publicidade

Com a ocupação de leitos hospitalar e a transmissibilidade do vírus em patamares ainda considerados críticos, o Rio Grande do Sul terá mais uma semana – a quinta consecutiva – com todas as regiões em bandeira preta no Distanciamento Controlado. Contudo, a 47ª rodada do modelo terá novamente o sistema de cogestão, fazendo com que as regiões possam adotar protocolos mais flexíveis. O mapa divulgado nesta sexta-feira pelo governo do Estado é definitivo. Ou seja, sem possibilidade de envio de pedidos de reconsideração, devido à gravidade do cenário. 

De acordo com a avaliação do Gabinete de Crise, a análise dos 11 indicadores nesta semana mostou relativa estabilidade no total de internados em Unidades de Terapia Intensiva (-1,8%) e redução nos casos confirmados com Covid-19 em leitos clínicos (-11,5%). O número de óbitos, porém, ainda foi crescente (+4%), atingindo um total de 1.824 nos últimos sete dias. Nesta quinta-feira, o Estado ultrapassou a marca recorde de 5 mil mortes por Covid-19 em um mês.

Conforme o Piratini, considerando o aumento de 2,5% no número total de leitos de UTI existentes e a diminuição de 1,7% no número de internados, houve redução da razão de leitos de UTI livres para cada ocupado. Essa redução, entretanto, não é suficiente para que a situação do RS seja considerada estável. O Governo do Estado salienta que a pressão sobre o sistema hospitalar permanece, causando ocupação de espaços inclusive fora dos leitos regulares e resultando em operação acima da capacidade indicada em algumas regiões.

Salvaguardas regionais

Pelas salvaguardas regionais, 19 regiões estariam em bandeira preta, com exceção apenas de Pelotas e Bagé ficariam em bandeira vermelha. A salvaguarda regional, implementada na 35ª rodada, é acionada quando a região tem elevada quantidade de novas hospitalizações e de pacientes confirmados com Covid-19 e, ao mesmo tempo, está inserida em uma macrorregião com baixa capacidade hospitalar.

Nesta 47ª rodada, as regiões com menor média ponderada final foram Santo Ângelo (2,08), Ijuí (2,08), Santa Rosa (2,05) e Pelotas (2,01). Guaíba e Cachoeira do Sul atingiram as maiores médias ponderadas finais da rodada, com 2,56 e 2,55, respectivamente. Por este motivo, explica o Piratini, a salvaguarda se torna necessária, para que as regiões estejam em níveis de risco mais adequados à realidade estadual.

Sem as salvaguardas adotadas pelo governo do Estado, o RS teria apenas duas regiões em bandeira preta – Guaíba e Cachoeira do Sul –, que atingiram as médias acima de 2,5. As demais regiões estariam em bandeira vermelha.

Regra 0-0

Também segue suspensa a Regra 0-0, a partir da qual municípios sem registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias poderiam adotar protocolos de bandeira vermelha. A cogestão regional, por sua vez, está permitida.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895