Com restrições, Ecofeira e feiras livres são retomadas em Imbé

Com restrições, Ecofeira e feiras livres são retomadas em Imbé

Segmento volta a funcionar 40 dias após paralisar atividades por descumprimento de medidas sanitárias

Correio do Povo

Para que a liberação ocorresse, todos os feirantes precisaram firmar compromisso de respeito às regras sanitárias

As tradicionais feiras de produtos hortifrutigranjeiros e orgânicos já têm permissão para voltar a funcionar em Imbé. A liberação marca a retomada das atividades do setor na cidade, após aproximadamente 40 dias de paralisação, por conta das frequentes denúncias de aglomeração nos espaços destinados para comércio dos produtos. Para que a liberação ocorresse, todos os feirantes precisaram firmar compromisso de respeito às regras sanitárias.

Conforme o responsável pela Vigilância Sanitária no município, Igor Ramon Mesquita, as atividades foram suspensas no dia 24 de junho, através de um decreto, levando em consideração a necessidade de conscientização sobre o cumprimento de medidas básicas de prevenção ao coronavírus, especialmente o distanciamento. Com a liberação, as feiras realizadas no Centro e nos balneários Mariluz e Santa Terezinha dependem apenas das adequações impostas para reiniciar os trabalhos. “Os feirantes estão cientes das exigências. Mas será um compromisso compartilhado. A comunidade também precisa ficar atenta às recomendações e, principalmente, evitar aglomerações nestes espaços”, reforça Igor.

Embora ainda estivesse funcionando de maneira reduzida, a Ecofeira, espaço de venda de produtos orgânicos localizado no estacionamento do Centro Administrativo Municipal, recomeçou completamente na manhã desta sexta-feira, já obedecendo todos os protocolos sanitários. Entre as mudanças, está a orientação para que os compradores não toquem nos produtos expostos. “Até a semana passada os produtores vendiam através do sistema pegue e leve, onde os clientes agendavam os pedidos e retiravam os produtos sem descer do carro.

Agora, além de higienização permanente e disponibilização de álcool gel, alinhamos esta orientação para evitar que pessoas eventualmente contaminem os produtos que não irão levar para casa”, explicou Flavio Souza, chefe do Escritório Municipal da Emater, parceira da prefeitura na realização da feira.

Conforme o prefeito, Pierre Emerim, a fiscalização será rigorosa, a exemplo do que já ocorre nos demais setores do comércio. “Precisamos de conscientização para que não sejamos penalizados com um convívio cada vez mais restritivo. Quanto maior a aglomeração, maior a incidência de casos e, consequentemente, a restrição das atividades”, alerta. “A irresponsabilidade de alguns faz com que todos saiam perdendo, e nós não podemos brincar com esse risco de contágio. Por isso, pedimos a colaboração não apenas dos moradores em geral, mas dos comerciantes, que neste momento precisam ser exemplo para que possam manter suas atividades em funcionamento, obedecendo as regras de distanciamento”, finaliza o prefeito.

Denúncias sobre aglomeração e outras práticas de desrespeito às normas sanitárias vigentes podem ser feitas diretamente à Vigilância Sanitária, pelo telefone (51) 3627-8287, ou para a Guarda Municipal no (51) 3627-8296.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895