Confirmadas audiências públicas sobre projetos de concessões dos parques nacionais da Serra
capa

Confirmadas audiências públicas sobre projetos de concessões dos parques nacionais da Serra

Segundo revelou o prefeito de Canela, o ministro Ricardo Salles afirmou que investidores dos Emirados Árabes estão interessados nos projetos

Por
Halder Ramos

O cânion Itaimbezinho é um dos maiores das Américas


publicidade

O Ministério do Meio Ambiente confirmou a realização de audiências públicas para tratar dos projetos de concessão dos parques nacionais de Canela, São Francisco de Paula e Cambará do Sul. Os eventos devem ocorrer nos dias 26 e 27 de junho. O objetivo é que as comunidades da região conheçam os projetos para exploração turística das três áreas e possam opinar sobre as concessões.

O vice-prefeito de Canela, Gilberto Cezar, participou de uma videoconferência com o ministro Ricardo Salles na última quarta-feira. “O ministro disse que dois dos maiores grupos de investidores de Dubai, nos Emirados Árabes, gostaram muito do projeto que engloba os cânions e as florestas de Canela e São Francisco de Paula”, destaca o vice-prefeito.

Segundo Cezar, os editais de concessão dos parques nacionais devem ser lançados em julho. “A ideia é fortalecer o turismo através de investimentos privados, sem deixar de lado o cuidado com a natureza”, comenta Cezar.

O projeto de concessão é uma luta antiga da comunidade de Cambará do Sul. O prefeito Schamberlaen José Sivestre acredita que a concessão dos parques Aparados da Serra e da Serra Geral, que abrigam os cânions Fortaleza e Itaimbezinho, trarão investimentos em infraestrutura e fomento ao desenvolvimento turístico.

Os dois parques, que formam a divisa natural entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, possuem uma área total de 30,4 mil hectares. Com profundidade de até 700m, paredões verticais e fenda estreita, o cânion Itaimbezinho é um dos maiores das Américas.


Além dos cânions, a proposta é conceder para exploração turística a Floresta Nacional de Canela, que tem 557 hectares, e a Flona de São Francisco de Paula, que conta com 1.615 hectares.