Coogamai entrega licenças ambientais para garimpeiros no Norte do Estado

Coogamai entrega licenças ambientais para garimpeiros no Norte do Estado

220 garimpos de oito municípios receberão o documento

Agostinho Piovesan

A direção da Coogamai deve encerrar na próxima semana a entrega das licenças

publicidade

A Cooperativa de Garimpeiros do Médio e Alto Uruguai (Coogmai), com sede em Ametista do Sul, está realizando a entrega das novas licenças ambientais homologadas pela Fepam, para 220 garimpos nos oito municípios de sua área de atuação, no Norte do Estado.

Segundo o presidente da cooperativa, Isaldir Antônio Sganzerla, há três anos a entidade vem trabalhando, através da direção, corpo técnico e consultorias e com apoio de associados, para obter as licenças que são fundamentais para a extração de minérios. “Cada frente de garimpo licenciada está recebendo uma placa informando que o empreendimento é licenciado pela Fepam, de acordo com as normas de proteção e conservação ambiental, constando também o nome do proprietário, da cooperativa e o número da Licença de Operação (LO), com validade até dezembro de 2024”, observa.

Na avaliação do engenheiro de minas da Coogamai, Anderson Oliveira, é um novo ciclo que está iniciando na mineração regional e por isso é fundamental que os proprietários de garimpos estejam atentos às adequações necessárias para a manutenção do licenciamento e o correto funcionamento do respectivo garimpo.

A Coogamai informou que, além da placa com as informações sobre o licenciamento, os garimpos também exibirão outra placa, na qual constarão dados de alerta para atividade de mineração com uso de explosivo com pólvora, citando, ainda, os horários de operação com orientações básicas de segurança e bem-estar aos garimpeiros. A bióloga Raquel Ceratti, destaca a conquista histórica da cooperativa em licenciar uma leva gigantesca de empreendimentos com licenças individuais, fato inédito. “Mas precisamos alertar para os cuidados com o meio ambiente, os quais são requisitos básicos do licenciamento”, comenta.

A direção da cooperativa afirma que um dos principais desafios dos garimpeiros é garantir uma colocação adequada aos rejeitos de rochas de garimpos retirados do interior das furnas, no trabalho de localização e extração das pedras ametistas, na sua maioria, além de citrinos e calcitas, gipsita e quartzo. O engenheiro Anderson Oliveira afirma que, cada um dos garimpos terá que definir um local adequado de colocação dos rejeitos, de modo a não agredir o meio ambiente, preservando os recursos hídricos e a vegetação.
A Coogamai atua há mais de 30 anos em defesa da atividade garimpeira e realiza um trabalho de acompanhamento diário da atividade, orientando e prezando pela viabilidade e o crescimento sustentável da mineração, conforme destaca a direção.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895