Corsan alerta para população reduzir consumo de água em Frederico Westphalen
capa

Corsan alerta para população reduzir consumo de água em Frederico Westphalen

Muitos produtores rurais recolhem água no manancial para irrigar lavouras neste período de estiagem

Por
Agostinho Piovesan

Rio Pardo reduziu a vazão em 95%

publicidade

A Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) de Frederico Westphalen está alertando a população para a necessidade de utilizar água de forma racional, a fim de evitar o racionamento do produto a partir da próxima semana. A companhia alega que a falta de chuvas fortes reduziu em 95% a vazão do rio Pardo, principal ponto de captação. Também caiu em 30% a vazão do rio Fortaleza, no vizinho município de Seberi, onde a companhia mantém o sistema alternativo de captação, acionado ainda no final de dezembro do ano passado.

O gerente da Corsan local, Daniel Piovesan Uliana, disse que a água trazida do rio Fortaleza é utilizada para abastecer Frederico Westphalen e também a cidade vizinha de Caiçara. “Estamos solicitando a população para necessidade de utilizar a água de forma racional, pois os mananciais de captação estão com nível crítico, diante da falta de chuvas fortes e periódicas”, observa.

Uliana informou que nos últimos dias foram registrados dois problemas que obrigaram a interrupção da captação através do Sistema Fortaleza. “Na noite do dia 11 ocorreram problemas mecânicos na estrutura de recalque em Seberi, provocando a suspensão do bombeamento por 12 horas. Além disso, no dia 12, faltou energia no local por seis horas”, detalha.

Segundo a Corsan, outra preocupação é que muitos produtores rurais recolhem água no rio Fortaleza para irrigar lavouras neste período de estiagem. Se a vazão reduzir ainda mais, poderá faltar água para a companha prosseguir com a captação.

A água do Sistema Fortaleza é bombeada até o distrito de Osvaldo Cruz, em Frederico Westphalen, e depois jogada na cabeceira do rio Pardo. Dali, a água corre pelo leito do rio, até a barragem na Vila Faguense, de onde é canalizada até a Estação de Tratamento (ETA) no bairro Itapagé.