Escolas municipais de Três Passos terão lousa digital

Escolas municipais de Três Passos terão lousa digital

Serão adquiridos 40 aparelhos que serão utilizados em nove escolas de ensino fundamental

Por
Agostinho Piovesan

Todas as escolas de ensino fundamental serão beneficiadas com a nova ferramenta


publicidade

A prefeitura de Três Passos, no Noroeste do Rio Grande do Sul, está encaminhando a licitação visando adquirir 40 lousas digitais que serão utilizadas nas atividades escolares com dois mil alunos dos nove estabelecimentos municipais de ensino fundamental.

A secretária de Educação, Gabriela Sabrina Matte, disse que este é um avanço importante no setor de educação que está em transformação. “Vivemos tempos inéditos e ter à disposição da rede recursos materiais que facilitam a pesquisa e a interação virtual, é sem dúvidas um presente e um avanço extraordinário”, observa.

Gabriela disse que o projeto para aquisição de 40 lousas digitais será viabilizado pela Administração Municipal por ser uma ferramenta que funciona como uma grande tela de computador, sensível ao toque e repleta de recursos, por meio dos quais o educador consegue trabalhar com seus alunos os conteúdos de modo mais rico e abrangente, tanto no ensino remoto, híbrido ou presencial.

A secretária afirma que as lousas digitais permitem que o educador tenha, em uma só ferramenta, dentre outros benefícios, a possibilidade de empregar em aula recursos multimídia e enriquecer as explicações com a apresentação de hiperlinks. Gabriela informou que será dada toda a formação apropriada aos professores para o uso deste material, podendo assim, envolver os alunos, incentivando e ofertando uma aprendizagem rica, repleta de possibilidades, inovações e criatividade.

O prefeito José Carlos Amaral informou que a ideia de inserir a lousa digital nas escolas municipais surgiu no ano de 2015, por ocasião do Prêmio Gestor Público, onde o município de Farroupilha foi agraciado na principal categoria, com o Prêmio Gestor Público Especial, através do projeto “Educação Digital no Fazer pedagógico”, que propunha atividades voltadas à sala de aula com o uso da lousa digital. “Naquele dia meus olhos brilharam ao vislumbrar esta oportunidade tecnológica aos nossos alunos”, lembra.


Amaral afirma que este modelo vem ao encontro do estudo híbrido, instituído durante a pandemia. “No retorno das aulas, o ensino-aprendizagem deverá ser mais dinâmico, principalmente, ser aliado à tecnologia, estando aí a oportunidade que tanto almejei proporcionar à rede municipal de inserir a lousa digital”, observa.