Estância Velha pode ingressar com liminar na justiça

Estância Velha pode ingressar com liminar na justiça

Ação pede a liberação de doses para pessoas de 58 e 59 anos com comorbidades

Stephany Sander

Determinação do Governo do Estado é de não iniciar a vacinação em moradores com comorbidades, mesmo o município estando em dia na imunização dos grupos prioritários

publicidade

Na cidade de Estância Velha não está descartada a possibilidade de ingressar com uma liminar para liberar a vacinação para pessoas com comorbidades na faixa etária dos 58/59 anos. A ação ocorre em razão de determinação do Governo do Estado para não iniciar a vacinação contra a Covid-19 em moradores com comorbidades, mesmo o município estando em dia na imunização dos grupos prioritários determinados pelo Ministério da Saúde e pelo próprio Estado. A notificação aconteceu na última sexta-feira, quando a administração municipal anunciou a nova rodada de imunizações e que precisou ser cancelada. A Secretaria Estadual da Saúde não soube informar quando será autorizado o início da vacinação das pessoas com comorbidades no RS, e, portanto, Estância Velha terá que aguardar a definição estadual.

Conforme a Vigilância em Saúde, órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde, Estância Velha tem 2.609 pessoas na faixa etária de 60 a 64 anos, que é o público-alvo a ser vacinado neste momento contra a Covid. Destes, 2.208 já estão imunizados com a primeira dose. Somente nos últimos cincos dias, quando o município abriu a vacinação desta faixa etária, mais de 2.000 estancienses foram imunizados. Aos 401 restantes, a Vigilância em Saúde garante o número de doses suficientes em estoque para sua imunização. Logo, com a chegada de 1.670 doses na sexta-feira, a Vigilância em Saúde entendeu ser viável o avanço da vacinação para as pessoas com comorbidades. Outra razão que levou essa decisão foi a redução significativa da procura de pessoas com 60 a 64 anos nos postos de saúde, bem como as demais faixas etárias, que nas semanas anteriores já haviam apresentado queda drástica na demanda, indicando que havia segurança para avançar no Plano Municipal de Imunização.

Segundo o prefeito, Diego Francisco, no sábado, onde mais uma edição do drive thru ocorreu, foi iniciado um balanço para verificar quantas vacinas foram realizadas. "A partir deste balanço vamos ver, nesta segunda-feira, se aguardamos alguma nova orientação do governo ou se ingressamos com uma liminar. O que não queremos é ter doses paradas na geladeira", frisa.

Após intervir na imunização de pessoas com comorbidades em Estância Velha, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) orientou que os municípios promovam a busca ativa a idosos que não tenham tomado a vacina. A SES alega que os municípios que acabaram de vacinar uma determinada faixa etária podem passar para a faixa etária menor, até o limite de 60 anos. Além disso, devem buscar também quilombolas, indígenas e outros integrantes de grupos prioritários que não tenham sido vacinados. Caso se comprove a sobra de vacinas no município para os grupos já indicados, a SES irá avaliar o remanejamento para outros locais. Sobre essa possibilidade de o governo redistribuir as doses de vacinas que sobram, o prefeito de Estância Velha diz que não foi comunicado.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895